O economista Lopes Paulo, disse que a saída da Taag da “lista negra” das companhia proibidas de voar no espaço europeu, vai trazer vantagens e criar maior robustez financeira para a empresa.
Segundo o economista, a Taag vai ampliar o mercado no Continente Europeu, pois existe um potencial de recursos humanos, meios e infra-estruturas que devem ser rentabilizados.

Em função disso, segundo Lopes Paulo, a rota da companhia vai ser ampliada e haverá mais interesses e facilidade para que os investidores possam usar os voos da companhia.
“Esta medida dá certificado de segurança à companhia nacional de bandeira”. disse.

Regresso à bonança

Doze anos depois, a transportadora Aérea Angolana (TAAG), pode voar sem restrições no espaço aéreo europeu, resultado de uma decisão unânime tomada pelos peritos da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (AESA) no passado dia 4 de Abril em Berlim, Alemanha.
O anúncio foi feito pela Comissão Europeia, que refere estar na mesma condição a Companhia Helimalongo, que sobrevoava o espaço do Velho Continente com restrições por questões de segurança.
Ao actualizar a lista negra das companhias proibidas de sobrevoar o espaço comunitário daquele continente ,“ a comissão indica que há notícias positivas para Angola, pelo facto de, a Taag e a Helimalongo que operam com restrições desde Novembro de 2008 foram retiradas da lista negra”, refere o comunicado.
A lista de segurança Aérea da UE, denominada “lista negra”, proíbe um total de 120 companhias de voarem para a União Europeia, com 114 transportadoras certificadas em 16 países devido a falta de fiscalização da segurança pelas autoridades nacionais da aviação, e as outras seis ligadas às próprias companhias.
Dados divulgados recentemente na capital angolana indicam que, a transportadora aérea angolana Taag regista prejuízos avaliados em milhões de dólares face à imposição da restrição e a pouca afluência na sua carreira.
A revitalização da mesma passa por uma transformação de todo o sistema operativo, gestão e infra-estrutural.
Fonte da Companhia Aérea angolana que falava sobre anonimato, aponta que “ A Taag tem pouco rendimento, há razão para valorizar a medida que pode dar um balão de oxigénio finaceiro à companhia”.
Sustenta a sua afirmação, pelo facto de muitas rotas do Continente Europeu alegadamente rentáveis são cobertas por outras companhias excluindo a Taag.
A Agência Europeia da Segurança da Aviação (AESA) tem como missão garantir a segurança e a protecção do ambiente no sector da aviação civil na Europa, composta por 28 países da UE, o Listenstaine, a Suíça, a Noruega e foi em 2002, como sede na Colónia (Alemanha).