O tecido empresarial nacional, em termos de unidades, tem observado uma tendência sempre crescente ao longo do período 2015 a 2018. Segundo o relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE) , até o final do período 2018 foram analisadas no Ficheiro de Unidades Estatísticas empresariais (FUE),185 mil 897 empresas, deste universo 52 mil 689 encontravam-se em actividade em 2018, quando comparado com o ano de 2017 que tinha um universo de 49 mil 376 empresas activas. Quanto à distribuição de empresas em actividade por província, as mais representativas foram Luanda, Benguela, Cuanza Sul, Huíla, Huambo e Cabinda, com 58,9; 7,5; 4,4; 4,3; 4,1 e 3,3 por cento, respectivamente.
No que toca à distribuição de empresas nos diferentes ramos de actividade económica, permanecem em destaque o comércio por grosso e a retalho, alojamento e restauração (restaurantes e similares), actividades de consultoria, científicas, técnicas e similares.

Mortalidade das empresas
As províncias do Cuando Cubango e Zaire registaram a maior taxa de mortalidade das empresas em 2018 com 5,2 e 2,8 por cento, respectivamente.
Até final de 2018,a província do Cuando Cubango tem registado um total de 1.579 empresas, das quais 1.007 aguardam início de actividades, 490 em actividade e 82 com actividades suspensas.
A província do Zaire tem registado até o final de 2018, 1.512 empresas, das quais 41 estão em actividade suspensas e 545 em funcionamento e 915 aguardam início das actividades.
O relatório sustenta que, a análise da mortalidade de empresas por actividade económica demonstra que em 2018, a taxa global mais elevada ocorreu no sector de electricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio, com 4,1 por cento e na agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca, com 3,5.
A menor taxa de mortalidade registou-se nas actividades de consultoria, científicas, técnicas e similares e actividades administrativas e dos serviços de apoio, com 0,4 por cento.
Relativamente à forma jurídica, a mortalidade das empresas foi mais elevada no sector público em 2016,2017 e 2018 com 18,8; 18,1 e 16,7 por cento respectivamente. O ano 2018 observou as mais baixas taxas de mortalidade da generalidade das outras formas jurídicas, destacando-se as sociedades por quotas e as sociedades anónimas com 0,9 e 1,7 por cento, respectivamente.
A mortalidade por sector institucional foi alta nas sociedades não financeiras públicas em 2017 e 2018 com 20 e 23 por cento.