O início das actividades no terminal de minério do Porto do Lobito está dependente da vontade dos operadores internacionais em enviar as suas mercadorias, segundo o presidente do Conselho de Administração da unidade portuária, António Felizardo.
De acordo com o responsável, o terminal, com capacidade operacional de 3,6 milhões de toneladas por ano, foi concebido para operar carga a granel. Apesar desse esforço, actualmente os operadores preferem enviar carga contentorizada, mas em quantidade muito reduzida.
“Neste momento, os operadores estão a estudar as informações que recebem sobre a capacidade de operação daquela unidade e tão logo decidirem negociar com o Porto do Lobito, o terminal estará disponível para funcionar”, referiu António Felizardo.
O terminal de minério tem um cais de 310 metros, uma área total de cerca de duzentos mil metros quadrados e tem capacidade para receber navios com cinquenta mil DWT (arqueção bruta).
A construção do terminal de minério incluiu todos os equipamentos e instalações necessárias para a realização de operações portuárias. A intervenção abrangeu, igualmente, a execução de uma plataforma artificial, com materiais provenientes do desmonte da montanha e dragagem do leito da baía. Esta plataforma compreendeu a construção de uma parede de cais, com uma extensão de 310 metros.
O referido terminal está também equipado com duas gruas de 16 toneladas, de 33 metros, um descarregador de minério com capacidade para 500 toneladas por hora, dois pórticos sob rodas de 16 toneladas, quatro tractores, dez atrelados de 10 a 20 toneladas.