A Technip, empresa francesa especializada em gestão de projectos, engenharia e construção para o sector de energia foi adjudicada pela Total Angola para trabalhar no desenvolvimento do campo Zinia Fase 2, localizado no “off shore” nacional a uma profundidade entre 800 e 1.000 metros.
Segundo apurou o JE de uma fonte da Angoflex, o contrato recentemente estabelecido entre as duas partes vai incidir-se no ramo de engenharia, aquisição e construção de equipamento submarino. Inclui ainda a construção de 9 unidades de árvores submarinas, bem como de cabeças de poço, sistemas de controlo submarino, de conexão e de equipamentos associados.
Este contrato, segundo dados a que o JE teve acesso, também cobre os serviços de suporte realizados pela Technip em Angola para a montagem, teste, mobilização e instalação das infra-estruturas submarinas.
O presidente da área de negócios submarinos da empresa adjudicada, Hallvard Hasselknippe, disse que a sua instituição está empolgada para desenvolver este projecto em Angola. “Isso ilustra o nosso relacionamento de colaboração de longo prazo. Este prémio mostra a posição da Technip como líder de mercado de tecnologia para equipamentos e serviços submarinos a nível mundial e demonstra também o nosso compromisso para com o mercado angolano”, disse o engenheiro.
Os dados asseguram ainda, que este pedido de entrada foi incluído nos resultados do segundo trimestre do ano em curso da empresa, estando os trabalhos do arranque do projecto previstos para ainda este semestre.
No entanto, o reforço da presença da petrolífera francesa no país enquadra-se nos acordos de cooperação rubricados em Maio último, entre o Governo angolano e o francês, aquando da deslocação do Chefe de Estado João Lourenço ao país de Gales.
A empresa divulgou há dias as suas contas do segundo trimestre, tendo alcançado uma receita de 1.217,4 milhões de dólares . A receita caiu 29,6 por cento em relação ao ano anterior, já que os projectos na Ásia-Pacífico , África (sobretudo de Angola) e América do Norte progrediram para a conclusão. A receita submarina continua a ser negativamente impactada por declínios no período anterior em pedidos de entrada relacionados à desaceleração do mercado.
A Technip é líder global em projectos submarinos, no onshore e offshore e de superfície. A empresa está presente em 45 países, possuindo activos industriais de última geração em todos os continentes e opera uma frota de embarcações especializadas para instalação de dutos
e construção submarina.

Novo alvará comercial entra em vigor na Huíla
O secretário de Estado do Comércio, Amadeu Alves Leitão Nunes, procedeu ao lançamento oficial da impressão local do novo Alvará Comercial na província da Huíla, 20 anos após a primeira solicitação da Associação Agro-pecuária, Comercial e Industrial Local (AAPCIL).
O novo sistema de licenciamento de alvará comercial, lançado na província no sábado, é mais moderno, de fácil compreensão e com medidas de segurança que evitam falsificações.
O processo permite a solicitação via presencial ou com recurso à internet.
Na ocasião, o secretário de Estado informou que pretende-se cobrir o país, com o novo alvará comercial, até Setembro próximo.   
As províncias do Huambo, Uíge, Bengo e Cuanza Norte já beneficiam do mesmo, no quadro da descentralização desse serviço.
Realçou que os directores provinciais têm orientações e ideias bem precisas sobre como utilizar essa ferramenta.
A actividade aconteceu na  Expo-Huíla 2018, onde foram emitidos, à partida, três  alvarás comerciais, sendo dois a retalho e um de prestação de serviço.