O turismo nacional vai ser uma grande fonte de captação de investimentos nos próximos anos, afirmou hoje a ministra do sector, Ângela Bragança.
Ângela Bragança, que fez essas declarações na abertura das comemorações do Dia Mundial do Turismo”, a assinalar-se a 27 de Setembro, sustentou a sua afirmação, referindo que o país tem potencial suficiente para alavancar a indústria do turismo e atrair receitas, um desiderato a ser atingido com a participação do empresariado estrangeiro. Para tal, disse ser preponderante a melhoria dos serviços básicos, como as vias de comunicação terrestre, fiscalização dos locais turísticos, de modo a salvaguardar a sua estrutura física, bem como a qualificação dos recursos humanos, de modo a permitir que Angola alcance os patamares mundiais no sector turístico, elevar a arrecadação de receitas e contribuir para o crescimento económico do país. Sublinhou que o Governo vai continuar a trabalhar no sentido de criar as condições para melhorar, cada vez mais, o sector com vista a primar pela inovação e revelação da verdadeira imagem turística do país.
O ministério, segundo a titular da pasta, vai continuar a trabalhar no sentido de elevar o turismo nacional aos patamares mais altos e desta feita atrair cada vez mais investimentos privados e consequentemente, trazer turistas ao país.
Referiu que com a democratização dos vistos, entre outros mecanismos tomados em conta pelo seu departamento ministerial, facilmente haverá um turismo em grande escala, capaz de produzir receitas e criar empregos.
“No quadro da diversificação da economia, a indústria turística pode ajudar o Estado a ter recursos financeiros para afectar outros sectores como Saúde e Educação, que passam por inúmeras dificuldades”,
aventou a responsável.
Realçou ser pretensão do Ministério da Hotelaria e Turismo executar planos que vão potenciar os recursos naturais, históricos e culturais do país, para dinamizar a actividade turística, na perspectiva de se criarem mais postos de trabalho.
Acredita que uma indústria turística dinâmica no país poderia contribuir grandemente para absorver um elevado número de jovens recém-formados nas nossas escolas médias e universitárias.
Em 2017, o sector turístico contribuiu para o Estado, através de impostos, com cerca de 10 mil milhões de kwanzas, menos dois mil milhões que no ano anterior. Para este ano, o acto central será realizado na província do Namibe e estão reservadas actividades ligadas à exposição e feiras turísticas em Luanda.