O número de serviços de manicure prestados maioritariamente por jovens, ao domicílio e nas ruas da cidade, está a aumentar na cidade do Cuito. É comum, nos dias de hoje, ver com frequência adolescentes e jovens a desempenharem esta função como forma de reduzir o problema financeiro que muitos vivem e serve também como forma de contrapor o desemprego.

O JE fez uma ronda pelas principais artérias da cidade e verificou isto mesmo, a existência de vários jovens do género masculino, sobretudo, com cadeiras, cestos e mochilas às costas, produtos e utensílios propícios para esta actividade que se tornou uma verdadeira fonte de rendimento.
Os locais escolhidos são principalmente os mercados e as esquinas de mini-mercados, mas outros preferem caminhar pelas artérias e esquinas à procura de clientes e não se confinarem num único local.
E foi num deste locais que encontramos António Adolfo, jovem de 20 anos, que aprendeu a actividade com um primo no Lobito, em Benguela, residente na Comuna do Cunje. O mesmo explicou que é finalista do ensino médio na escola Comercial e frequenta o curso de Contabilidade, mas para comprar alguns materiais didácticos procura fazer manicure para suportar os encargos com a sua formação.
O jovem, ainda que, com dificuldades financeiras que enfrenta prefere trabalhar tratando as unhas no mercado municipal e de tarde vai à escola, para não enveredar pelas más práticas.
Em relação aos outros jovens, o maior mercado paralelo do Tchissindo, localizado a três quilómetros da zona periférica da cidade do Cuito,
congrega o maior número.
Logo à entrada do mercado é possível ver um grupo de jovens sentados no parque de estacionamento, com os seus instrumentos preparados
para o tratamento das unhas.
Já Amadeu Maurício, outro jovem de 18 anos, que estava a tratar uma das suas clientes habituais, aclarou que actualmente muitas jovens e senhoras de todos os extractos sociais, procuram o tratamento das unhas nos mercados paralelos. O preço acessível e a rapidez no trabalho, são algumas causas que levam as senhoras a tratar as unhas na rua.
A facturação em manicure varia, mas às quintas e sextas-feiras, são os mais concorridos devido a realização de festas e preparação da outra semana para o trabalho.
O preço de manicure varia desde o tratamento natural à aplicação das unhas, com valores que rondam os 500 e dois mil kwanzas e um valor perto ou acima dos 10 mil kwanzas diário.