A União Europeia (UE), através da sua delegação em Angola disponibilizou 22 milhões de euros para apoiar projectos de revitalização do ensino técnico e formação profissional dos jovens no país para garantir a empregabilidade e a produtividade nas localidades onde estão inseridas.
O protocolo de cooperação foi assinado esta semana, em Luanda, pela delegação da União Europeia em Angola e o Governo, com o suporte técnico de Portugal e da França.
O projecto foi lançado esta semana em Luanda na presença dos representantes da União Europeia de Portugal e da França no país, bem como de representantes do Executivo angolano e das demais instituições beneficiárias.
Entre os principais objectivos do projecto de revitalização do ensino técnico e da formação profissional (RETFOP), está a extensão da oferta formativa e a melhoria da sua qualidade e relevância, dando particular atenção às mulheres e outros grupos desfavorecidos em termos sociais e geográficos.
A qualidade do ensino técnico e da formação profissional será melhorada de forma a assegurar que os diplomados estejam equipados com conhecimentos e competências relevantes para o mercado de trabalho.
Segundo apurou o JE, de uma fonte da delegação da UE, o projecto RETFOP abrange as províncias de Benguela, Huambo, Huíla, Luanda, Moxico e Uíge e tem uma duração de execução de cinco anos e conta com uma dotação financeira de 22 milhões de euros da União Europeia. O projecto será implementado pelo Camões-Instituto da Cooperação e da Língua I.P. e a Expertise France.
O RETFOP actuará em vários níveis, na gestão estratégica das instituições públicas a nível central e local e a sua coordenação com o sector privado.