A Unitel concluiu ontem a operação de compra de 2 por cento do capital do Banco de Fomento Angola (BFA) ao Banco Português de Investimento (BPI), passando assim a controlar 51,9 por cento da instituição financeira angolana, soube o JE por via de uma nota.
Com esta operação, o BFA consolida a sua imagem de referência na banca angolana, assumindo-se como um exemplo de excelência e inovação e uma mais-valia para a economia do país, demonstrando a confiança na economia angolana num momento em que os seus grandes desafios começam a ser vencidos. Com a operação, Mário Leite da Silva assumirá o cargo de presidente do Conselho de Administração do BFA, substituindo Fernando Ulrich.
Segundo a missiva, a solução permitiu ainda resolver a questão dos grandes riscos imposta peloBanco Central Europeu ao BPI, que obrigava o banco português a reduzir a sua exposição ao BFA.
O Banco de Fomento Angola (BFA) foi a filial que mais contribuiu para os lucros do Banco Português de Investimento (BPI), avaliados em 236,4 milhões de euros, em 2015. O BFA gerou para o BPI 135,7 milhões de euros, um montante 16 por cento acima do arrecadado em 2014, o equivalente a 16,9 milhões de euros.
O lucro com a actividade internacional do BPI ascendeu a 143,3 milhões de euros em 2015, um aumento de 13,6 por cento face aos 126,1 milhões obtidos em 2014