Seis contratos avaliados em 34 milhões 700 mil 897 dólares foram assinados esta semana, em Luanda, pela Unidade Técnica de Apoio ao Investimento Privado (Utaip), em cerimónia presenciada pela ministra da Indústria, Bernarda Martins. As assinaturas foram rubricadas pelo director da Utaip, José Gama Sala e os investidores nacionais e estrangeiros. Os investimentos vão criar 698 postos de trabalho directo, dos quais 623 (90 por cento) para trabalhadores angolanos.
No acto, a ministra da Indústria, Bernarda Martins, disse que os contratos têm grandes valores e importância
para a indústria nacional.
Adiantou que assinou-se contratos para produção que vai abastecer o mercado nacional e que futuramente começará a ser exportada para os países vizinhos. “Em 2017 conseguimos que a indústria alimentar liderasse, e no sector industrial assinamos contratos
de até 10 milhões de dólares.
Em perspectiva está em carteira uma série de projectos que poderão entrar em funcionamento nos próximos meses”, disse a ministra. Referiu que o sector da indústria em 2017 gerou cerca de 22 projectos diversos.
Já o director da Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP), Norberto Garcia, adiantou que o sector da indústria é o mais produtivo que está a liderar o investimento privado em Angola, numa demonstração clara do quadro situacional da diversificação económica do país.
Segundo o gestor, esta é uma pirâmide de investimentos considerável e os acordos de hoje vão criar mais de dois mil empregos, demonstrando a vontade que os investidores privados têm de continuar no processo de alavancamento das actividades económicas e fazer que a produção nacional seja um facto e que os factos de transformação no sector industrial possam corresponder as expectativas que o executivo desenhou.
“Servem para autonomizar, fazer com que o país deixa de depender do petróleo e possa criar a nível interno ganhos económicas que vão constituir mais satisfação e melhor emprego.