A Zona Económica Especial (ZEE) Luanda-Bengo tornou-se em Fevereiro último membro efectivo da Associação Africana das Zonas Económicas e Zonas Francas (AFZO), no âmbito da estratégia do Executivo de melhorar o ambiente de negócios no país.
A iniciativa visa também a atracção de investimentos estrangeiros, para contribuir no aumento da produção nacional não-petrolífera, segundo uma nota de imprensa da ZEE chegada à Angop.
Como membro activo, a Zona Económica Especial Luanda-Bengo tem a oportunidade de situar Angola entre os países activos em África, na promoção da sua imagem e posicionando-o nas opções dos principais investidores internacionais que procuram o mercado africano para se instalar.
Com sede em Marrocos, a Associação Africana das Zonas Económicas e Zonas Francas (AFZO) está engajada na consecução de objectivos estratégicos, com atracção de investimentos estrangeiros directos, contribuindo para o desenvolvimento socioeconómico
dos países membros.
A associação oferece ainda suporte às Zonas Económicas e Zonas Francas Africanas, com foco no crescimento e prosperidade, com vista à industrialização
dos países africanos.
Dentre outros objectivos, a AFZO visa também fornecer assistência estratégica e técnica, identificar oportunidades de negócios, promover modelos e práticas de desenvolvimento económico sustentável.
A Zona Económica Especial Luanda-Bengo (ZEE-EP) foi criada pelo Governo angolano em Outubro de 2009, com o objectivo de aumentar a produção local, reduzir as importações e promover a diversificação da economia.