A multinacional sul-coreana Kolon e o grupo empresarial Opaia prevêem instalar, nos próximos tempos, uma fábrica do ramo farmacêutico na Zona Económica Especial (ZEE) Luanda-Bengo.
Para a concretização do investimento, os empresários sul-coreanos e do grupo Opaia visitaram as instalações da ZEE e num encontro de cortesia foram recebidos pelo Conselho de Administração do centro de produção.
Segundo apurou o JE, o encontro entre empresários e a administração da ZEE, enquadra-se nas políticas definidas pelo Executivo para a ZEE e no cumprimento da sua missão em atrair novos investimentos ligados ao sector não-petrolífero.
A necessidade em se criar condições favoráveis para a promoção da diversificação da economia nacional, aumento da produção interna, promoção das exportações e criação de novos postos de trabalho, são dentre outros os objectivos
da unidade de produção.
Na ocasião, o presidente do Conselho de Administração da ZEE, António Henriques da Silva, informou aos potenciais investidores as valências da zona e os benefícios que estes passariam a ter ao instalarem uma unidade de produção, reiterando a função da ZEE nas políticas do Executivo.
O portfólio de investimentos da Kolon na Ásia, Europa, África e América, está avaliado em mais de 800 milhões de dólares. A empresa opera nos ramos automóvel, tecnologia, farmácia, química, produção de painéis solares, entre outros.
Apesar de voltar a atrair novos investimentos, algumas empresas públicas situadas no perímetro, foram igualmente abrangidas no plano de privatização (total ou parcial) em curso no país, parte delas adstritas
à Sonangol Industrial (SIIND).
No quadro deste processo, a secretária de Estado para as Finanças e Tesouro, Vera Daves, visitou há dias, as instalações da ZEE para constatar “in loco” a situação actual das unidades industriais.
Durante a visita, a governante constatou o grau de funcionamento das indústrias de transformação de vidro (Univitro), de Argamassa (Juntex), de Cartonagem e de absorventes (Absor).
Percorreu também o interior das indústrias de produtos de higiene e detergentes (Indugidet), de cobertores( Coberlen) e de sacos de cimento (Saciango).