A Zona Económica Especial (ZEE) Luanda/Bengo oferece condições e ambiente que garantem a competitividade e afirmação das empresas nacionais no mercado regional e internacional, afirmou o ministro da Economia e Planeamento, Pedro Luís da Fonseca.
O governante, que falava na última quarta-feira em Luanda no acto de tomada de posse do novo Conselho de Administração da ZEE, disse que as acções concorrentes para a competitividade e extensão das empresas nacionais constituem factores fundamentais para a concretização do processo de diversificação económica em curso no país.
Durante o acto de empossamento, Pedro Luís da Fonseca salientou que a Zona Económica Luanda Bengo constitui o ambiente necessário que se pode oferecer para que a actividade económica privada ocorra com o mínimo custo possível, e condições que garantam alguma competitividade das empresas nacionais rumo a diversificação nacional.
O governante disse esperar que o novo concelho de administração da ZEE possa criar as condições institucionais necessárias para que se transforme no pilar da actividade económica privada de forma sustentável e competitiva tendo em conta o propósito do governo angolano de substituição das importações.
O PCA da ZEE, António Henriques da Silva afirmou estarem criadas as condições para que a ZEE possa cumprir com o seu papel fase a uma nova dinâmica que está a viver o país. E sobre o novo concelho recai um conjunto de “responsabilidades pelos quais nos comprometemos”.