A nossa reflexão, em torno da Cimeira de Nairobi, começa com a saudação típica da região e do país em particular. “Akaaribu”, seja bem vindo. A resposta é “sawa, sawa” que significa “ok” ou ainda muito obrigado em “Suaili”, uma das línguas com maior número de falantes na região e no Quénia em particular. A conferência de Nairobi entrou na lista das mais importantes do continente, a julgar pela sua importância, dimensão, nível de organização, assim como o número de participantes: 9 mil entre africanos, asiáticos e americanos. Para mim, foi uma oportunidade ímpar para conhecer mais um país africano, depois da RDC, Congo Brazaville e Etiópia. O bilhete de passagem para Nairobi ronda entre 200 e 400 mil kwanzas e são três voos semanais, às quartas, sextas e domingos através da companhia de bandeira queniana, “Quénia Airways”.
Os voos directos duram até quatro horas Luanda-Nairobi. Já os voos com escala, depende da rota traçada.
Ao chegar em Nairobi, o Aeroporto Internacional Jomo Keniatta, localizado no subúrbio de “Embakasi”, cerca de 15 quilómetros do cento da cidade, constitui a porta de entrada. O visto lhe pode ser atribuído na hora desde que tenha o passaporte válido e o cartão de vacina internacional. Na última conferência, por exemplo, os vistos foram gratuitos para todos os participantes desde que solicitados com o mínimo de três semanas de antecedência.
Os preços dos hotéis variam de acordo com a preferência do cliente, o mínimo ao redor do casco urbano ronda os três mil xelim do Quénia (cerca de 30 dólares) até há preços mais requintados para os endinheirados. O câmbio ronda os 1usd=101 xilim queniano e 115 para cada um euro. Já os cartões Visa funcionam 24 horas ao dia. O serviço táxi funciona 24 horas, no entanto é preciso ter o “UBER” instalado no telefone para chamar o táxi. Apesar de ser volante à direita, ajuda-o a chegar ao destino sem qualquer problema.
“Massaai” é o mercado mais conhecido em Nairobi, um lugar onde se pode adquirir uma variedade de artesanato, curiosidades e lembranças de todo o Quénia e África.