O ministro e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Manuel da Cruz Neto, afirmou quarta-feira, em Luanda, que a dissipação da crise económica do país passa pela criação de um empresariado forte capaz de responder às adversidades económicas e responder à demanda e à produção interna.
Para o dirigente, que falava na abertura da Feira Internacional de Luanda, que vai na sua 33ª edição, depois de uma paralisação de um ano, aponta a necessidade de conciliar o investimento público e o privado, dois grandes impulsos para catalisar a economia.
Deixar a dependência do petróleo , investir na agro-pecuária, exploração em grande escala dos minérios, que o solo angolano apresenta, pode ser a melhor saída para que definitivamente o país possa atingir o apogeu.
Manuel da Cruz Neto considera a diversificação económica como factor para reverter o quadro económico vigente, resultante da baixa do preço de petróleo no mercado internacional.
Colocou acento tónico à diversificação económica, apelando a um investimento privado mais actuante e oportuno.
Para o governante, a Filda/2017 é um espaço de exposição e de trocas comerciais entre produtores e consumidores, com o objectivo de fomentar a criação e consolidação de um ambiente favorável de negócios