O Banco Mundial (BM) vai instalar, este ano, um escritório em Angola, para financiar o sector privado, confirmou, na passada quarta-feira, em Nova Iorque, o seu presidente, David Malpass.
O responsável confirmou o facto durante um encontro com o Presidente da República, João Lourenço, informou o ministro das Finanças, Archer Mangueira, em declarações à imprensa.
O BM aprovou, recentemente, um pacote financeiro para Angola, na ordem de 1,3 mil milhões de dólares.
Segundo o ministro das Finanças, o escritório do BM vai dar prioridade às parcerias público-privadas, com realce para o sector da Energia e Águas.
David Malpass fez um balanço dos projectos financiados pela instituição financeira em Angola nos domínios da saúde, educação, protecção social e desconcentração local.
Archer Mangueira fez saber que os dois interlocutores definiram, também, uma estratégia de parceria de médio-prazo, que está a ser negociada com essa instituição financeira mundial.
Indicou que essa parceria vai recair para o domínio do capital humano, infra-estruturas e apoio ao sector privado.
Adiantou que o Presidente João Lourenço aproveitou o encontro com o responsável do BM para solicitar a participação desse organismo financeiro internacional nos esforços do Executivo para a mobilização de recursos.
De acordo com o ministro, os recursos servirão para mitigar, de forma sustentada, os efeitos da seca nas províncias da Huíla, Cuando Cubango e Cunene.
Em termos de execução de projectos do BM em Angola, explicou que o foco tem recaído nos cuidados primários de saúde e redução de crianças fora do sistema de ensino.