A província do Bengo é tida como uma grande área de interesse turístico, devido ao seu potencial, que permite oferecer, a qualquer turista, uma variedade significativa de lazer e sossego.
A rede hoteleira da província do Bengo é composta por 27 estabelecimentos, com 608 camas disponíveis em hospedarias, resortes, complexos turísticos, aldeamentos e apenas um único hotel de três estrelas funciona.
O mapa do Departamento do Turismo aponta o município do Dande com 395 quartos, 22 estabelecimentos, Nambuangongo com 11 quartos
com e um aldeamento turístico.
Estão catalogados um total de sete hotéis que não funcionam, dos quais hotel ABC, IU, Hotel Bengo (totalmente degradado), Hotéis AAA aguarda inauguração, Dicanza nos Libongos em estado de abandono, Ambriz e a hospedaria Rosinha no Pango Aluquém.
A zona piscatória do Ambriz possui neste momento 16 quartos, com uma hospedaria, aldeamento turístico, Bula Atumba possui 7 quartos e uma hospedaria, Dembos 5 no total com apenas uma hospedaria.
Estão inoperantes até agora seis hotéis e uma hospedaria por falta de condições, sendo que dos seis municípios que compõem a província do Bengo, o Pango Aluquém não tem estabelecimento hoteleiro.
A diária varia em função do quarto solicitado. Para um quarto sigle, por exemplo, no Hotel Panguila, o cliente desembolsa 25 mil kwanzas,
incluindo o pequeno-almoço.
O documento refere que a província do Bengo aos poucos dado o seu crescimento agro-industrial e socioeconómico, aos poucos vai registando a visita de centenas de turistas nacionais e estrangeiros com principal realce para a comuna da Barra do Dande.
Dos restaurantes e similares a região conta com 675 cadeiras, 169 mesas que perfazem 15 instituições de apoio à rede hoteleira das terras do “Jacaré Bangão”, subdivididos em Snack Bares, botequins, restaurantes e roulottes.

Constrangimentos

O fornecimento e abastecimento de água potável e de energia eléctrica, em toda a extensão do território, constitui, igualmente, preocupação para a criação de condições para que a hotelaria e o turismo funcionem de forma eficaz.
A nível do Bengo, apenas 20 por cento da população tem acesso à água potável, com um consumo per-capita estimado em 20 litros dia, contra os actuais 80 litros estipulados pelo Governo.

Banca apoia

Quase todos os bancos comerciais que operam em Angola possuem balcões na vila de Caxito, município do Dande e apenas dois na vila piscatória do Ambriz, suportando actividade económica e empresarial local.
Graças à acção de fomento dos bancos comerciais na altura nasceram na vila de Caxito, Kibaxe, Ambriz, Nambuangongo e Bula Atumba alguns empreendimentos do ramo hoteleiro de pequeno porte e outros pequenos negócios individuais, de associações, cooperativas e de jovens empreendedores.
De realçar que o Banco Sol foi a pioneira na concessão de créditos a pequenos empreendedores, operadores do ramo hoteleiro e similares desde a sua implantação na região possuindo até hoje três balcões.

Encantos
A pequena vila de Caxito, município do Dande, a norte de Luanda, tem bastante sol, histórias, cultura, praias deslumbrantes e excelentes locais de interesse turístico para aventureiros.
A comuna da Barra do Dande faz parte do grande mosaico turístico da província do Bengo, mas precisa de investimentos, pois é considerada ainda virgem, apesar de ser bastante rica em potencial turístico para atrair pessoas.