Um centro de formação dos Caminho-de-Ferro de Luanda, com capacidade de albergar 600 formandos em três turnos, foi inaugurado sexta-feira, no distrito urbano de Catete, município de Icolo e Bengo, em Luanda, pelo ministro dos Transportes, Augusto Tomás.
Trata-se de um centro construído em 18 meses pela empresa de construção chinesa, com dois edifícios que se destinam à formação e outro para hospedagem dos formandos, onde podem em regime de internato viver 240 estudantes.
A instituição de ensino possui oito laboratórios nas diferentes especialidades ferroviárias, nomeadamente, optoelectrónica, comunicações com e sem fio, propulsão e alimentação, electricidade, simulação de tráfico, sinalização respectivamente.
Bem equipado do ponto de vista técnico, a infra-estrutura teve um investimento de 17,5 milhões de dólares norte-americanos, provenientes dos créditos da linha de cooperação com a República da China.
Em declarações à imprensa, o ministro explicou que tudo que foi investido no referido centro é para servir melhor o Caminho-de-ferro de Luanda, os passageiros e carga, referentes às províncias que atravessam esta via de comunicação, como o Cuanza Norte e Malanje, em particular, e em geral o país.
Como perspectiva, acrescentou o governante, pretende-se fazer do referido centro um estabelecimento com o objectivo virados unicamente para os transportes ferroviários, numa vocação ampla visando a formação técnica em transportes e logística no futuro.
A pretensão é também de formar condutores de locomotivas, camiões, electricistas de comboio e mecânicos de camiões, visando dar oportunidades e capacitar os jovens tecnicamente com o único foco de se empregarem melhor qualificados.
O governante fez saber que com este investimento o governo angolano coloca-se em vantagens competitivas no quadro da região económica em que o país se insere.