O secretário de Estado assegurou que a questão do impacto ambiental resultante da actividade de exploração de rochas ornamentais está salvaguardada. Para Jânio Correia Victor, o código mineiro salvaguarda também esta questão, no sentido de as empresas definirem dentro do estudo de viabilidade a vertente estudo ambiental. Disse que o sector das rochas ornamentais ainda emprega perto de mil pessoas. Defendeu que nasçam mais empresas no ramo para impulsionar a criação de mais postos de trabalho. Segundo o governante, a direcção nacional dos recursos minerais e a de segurança e protecção ambiental estão também atentas a isso, incluindo o gabinete de inspecção. “Deve haver equilíbrio entre a produção e a protecção do ambiente. Isto significa que as empresas podem produzir, mas devem ter em atenção que não podem causar danos devastadores ao ambiente”, referiu.