O Executivo anunciou ao longo do ano ainda em curso, o Programa Integrado de Desenvolvimento do Comércio Rural (PIDCR), que substitui o Papagro, tem em curso experiências piloto em seis províncias, envolvendo 195 infra-estruturas e 45 projectos agro-industriais desenvolvidos pelo sector.
Os dados divulgados tinham sido divulgados, em Luanda, à margem da abertura do 13º Conselho do Ministério do Comércio, mas que até agora não se vislumbram sinais positivos do mesmo.
A ideia era que, depois do lançamento nas províncias, onde decorrem as experiências do programa aprovado em Agosto de 2018, onde figuram Benguela, Bié, Cuanz Sul, Cuanza Norte e Huambo, conforme apontou o secretário de Estado do Comércio, Amadeu Nunes, definindo o PIDCR pelo potencial de garantir o equilíbrio na oferta de bens e estabilidade nos preços, este começaria a dar os seus frutos já em 2019, mas até aqui não se verifica, nas zonas rurais, o chamado comércio rural.
Agora, a esperança está em 2020, que de acordo com os números revelados no encontro indicam, a realização de despesas de apoio ao desenvolvimento do sector, o Ministério do Comércio tem prevista, para este ano, uma verba orçamental de cerca de kz 6.170 milhões, acima do valor cabimentado no orçamento revisto de 2019, quando o crédito se situava em kz 4.039 milhões.
O comércio rural conta com quase 200 pontos, que vão garantir, no futuro, o escoamento da produção nacional, com os agricultores a comercializarem milhares de produtos da sua produção.