Uma linha de crédito no valor de quatro mil milhões de kwanzas, destinada a financiar projectos para jovens empreendedores, foi aprovada ontem, em Luanda, pelo Executivo angolano. O montante destinado para cada projecto, após a aprovação deste pelas instituições afins, será o
equivalente a 200 mil dólares.
O facto foi revelado à imprensa pelo ministro da Juventude e Desportos, Albino da Conceição, à margem da 1ª reunião ordinária conjunta das Comissões Económica e para a Economia Real do Conselho de Ministros, orientada pelo Chefe de Estado Angolano, José Eduardo dos Santos.
O encontro discutiu e aprovou o Projecto de Decreto Presidencial que aprova o Regulamento da Linha de Crédito de Apoio ao Empreendedor Jovem (Projovem), que será assegurado pelo Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA).
Segundo o ministro, pretende-se com esse programa dar cumprimento a algumas das solicitações feitas pela juventude durante o Fórum Nacional de Auscultação dos Jovens, realizado em 2013, no quadro do Plano Nacional de Desenvolvimento.
Explicou que a intenção é criar um mecanismo para que os jovens possam dedicar-se ao empreendedorismo, no âmbito de um novo processo de educação da juventude, com vista a pôr em marcha o espírito criativo.
Albino da Conceição clarificou que a linha de crédito vai enquadrar actividades no quadro da hotelaria e turismo, comércio, prestação de serviços, indústria, agricultura, pecuária e pescas, tecnologias de informação, comunicações e empreendedorismo cultural.

Identificados parceiros
O projecto, ora aprovado, e conforme avançou o ministro, vai ter como elementos operadores entidades ligadas ao Conselho Nacional da Juventude, o Instituto Nacional da Juventude e o Instituto Nacional de Apoio às Micros, Pequenas
e Médias Empresas.
Esta última será a entidade que vai certificar os projectos apresentados pelos jovens, cabendo, finalmente, ao Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) indicar o banco operador em que os mesmos (projectos) serão canalizados para sua execução.
De acordo com Albino da Conceição, tudo será feito para que o Conselho Nacional da Juventude, em parceria com os conselhos provinciais seja célere e não se criem procedimentos burocráticos, com vista a tornar o plano mais credível e transparente possível.


BDA mostra-se à altura
Por sua vez, o presidente do Conselho da Administração do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), Manuel Neto Costa, que também participou da reunião da equipa económica do Conselho de Ministros, informou que a intenção deste programa é cobrir as necessidades de importação para implementação
de investimentos.
O gestor esclareceu que aquela instituição, enquanto instrumento do Estado, é o órgão que vai fazer a gestão do processo de financiamento dos projectos privados dos jovens.
Na reunião ordinária conjunta das Comissões Económica e para a Economia Real do Conselho de Ministros, decorrida no Palácio Presidencial, estiveram no centro das discussões documentos da comissão de coordenação de Políticas Fiscal, Monetária e Cambial.

Corpo diplomático
O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, solicitou também ontem, em um outro momento, em Luanda, maior apoio à África na luta contra o terrorismo, o radicalismo religioso e a sua expansão pelo continente.
Ao discursar na Cerimónia de Cumprimentos de Ano Novo ao Corpo Diplomático, o Chefe de Estado pediu apoio na resolução do conflito no Sudão do Sul, para o qual é necessário acabar com a insurreição e dar-se início a uma verdadeira reconciliação.
Segundo José Eduardo dos Santos, há que apoiar a aplicação dos acordos entre o governo e a oposição na República Democrática do Congo, para a realização de eleições até Dezembro de 2017, de modo a consolidar-se a confiança no sistema democrático vigente.

Elogios ao decano
O Presidente José Eduardo dos Santos afirmou, por outro lado, que a interpretação do Decano do Corpo Diplomático, Jean Baptiste Dzangue, sobre a realidade angolana, apontando os seus êxitos e os seus desafios, traduzem as qualidades de um observador atento e de um diplomata distinto.
O Chefe de Estado angolano disse que essa interpretação contribui para a concórdia e a aproximação entre os povos e os países num espírito de respeito e compreensão mútua.
“É para mim motivo de grato prazer receber os Senhores Representantes do Corpo Diplomático nesta Cerimónia de Cumprimentos de Ano Novo. Ouvi com muita atenção as palavras do Senhor Decano do Corpo Diplomático, a quem agradeço profundamente as palavras de amizade e cortesia”, disse.