O Governo francês vai reforçar a cooperação no domínio da formação profissional e académica com Angola, sobretudo nas áreas agro-alimentar e industrial, com vista a contribuir para o desenvolvimento económico do país.
A informação foi prestada, em Malanje, pelo embaixador da França em Angola, Sylvian Itté, no fim de uma jornada de trabalho de algumas horas em Malanje, que visou constatar o funcionamento dos empreendimentos de ensino financiados pelo Governo francês.
De acordo com o diplomata, o Instituto Médio Agrário de Malanje (IMAM) será alvo de uma cooperação mais ampla, através de protocolos a serem assinados, provavelmente em Maio, entre os Ministérios da Agricultura de Angola, França e a Agência Francesa de Desenvolvimento.
Referiu que estão a ser estudadas, entre a Agência Francesa de Desenvolvimento e os Ministérios da Agricultura e da Educação de ambos os países, políticas que visam dinamizar a formação de técnicos médios e
superiores, a partir de Malanje.
“O objectivo é oferecer uma formação de qualidade, através de um plano de formação pedagógica para professores e atribuição de bolsas de estudo para França aos melhores alunos, além de promover parcerias entre os liceus franceses e angolanos”, frisou.
Afirmou que Malanje é uma das regiões de Angola que beneficiam da cooperação entre os dois países, sobretudo nos domínios da formação académica, profissional, agricultura e ensino superior.
A deslocação do embaixador Sylvian Itté à província enquadra-se na preparação da visita do Presidente de França, Emmanuel Macron, a Angola, prevista para Maio deste ano. A agenda reserva a inauguração do Instituto Superior de Tecnologia Agro-Alimentar de Malanje (ISTAM), com obras financiadas pelo Governo francês.
Sylvian Itté visitou, igualmente, as instalações e o campo de produção do Instituto Médio Agrário de Malanje, que vai beneficiar de uma cooperação no domínio académico com o seu país e a escola Eiffel, instituição do ensino médio também
financiada pela França.
Presidente  visita Angola
O Presidente de França, Emmanuel Macron, visita Angola em Maio próximo, anunciou quarta-feira, em Luanda, o embaixador francês acreditado no país, Sylvain Itté.
A confirmação foi dada pelo diplomata francês, no final de uma audiência que o Chefe de Estado angolano, João Lourenço, concedeu ao Conselheiro Especial junto da Presidência francesa para
África, Franck Paris.
Em declarações à imprensa, Sylvain Itté não adiantou as datas prováveis da visita, mas sublinhou que o assunto foi, igualmente, abordado na audiência de quarta-feira.
A deslocação do Estadista francês deverá acontecer um ano depois de o homólogo angolano ter realizado uma visita oficial a França, em 2019.
A França foi o primeiro país europeu que João Lourenço visitou oficialmente, depois da tomada de posse como Presidente da República de Angola, a 26 de Setembro de 2017.

Mensagem
No decurso da audiência de quarta-feira, o Estadista angolano, João Lourenço, recebeu uma mensagem do homólogo francês, Emmanuel Macron, na qual se ressalta o fortalecimento das relações de amizade e de cooperação bilateral.
A missiva foi entregue pelo conselheiro especial, Franck Paris.

Cooperação Angola-França
As relações diplomáticas entre os dois Estados foram estabelecidas em Fevereiro de 1976.
As bases da cooperação bilateral foram criadas, em 1982, com a assinatura do Acordo Geral de Cooperação.
Os dois países partilham diversos interesses económicos. O comércio bilateral atingiu 1 milhão e 4 mil euros, em 2013.
Em 2014, as importações de França para Angola alcançaram um valor estimado em 770 milhões de euros.
As importações são constituídas, basicamente, por equipamento para utilização na indústria petrolífera, produtos alimentares e bens de consumo diversos.
Angola exporta para França petróleo bruto. A empresa francesa Total tornou-se na primeira operadora petrolífera em Angola, com uma produção diária na ordem dos 650 mil barris.
Os dois países têm uma cooperação cultural e científica forte, especialmente no domínio do ensino superior.