Os mapas geológicos apresentados vão ajudar no processo de divulgação e promoção do potencial existente e a direccionar melhor os investimentos no Sector Mineiro com destaque ao subsector das rochas ornamentais angolanas, reconheceu o secretário de Estado para a Geologia e Minas. Jânio disse que as informações disponíveis na cartográfica geológica produzida à luz do Plano Nacional de Geologia e minas (Planageo)oferece informações essenciais para que os homens de negócios do sector possam realizar pesquisas e prospecção em áreas de interesse. O secretário de Estado disse que os documentos vãos ajudar o Estado a levar melhores informações aos investidores nacionais durante os eventos de promoção do potencial existente à luz das estratégias em curso para atrair mais investimentos para alavancar o sector mineiro em Angola. “Estes mapas ajudam sobremaneira a divulgar o potencial, porque a primeira coisa de que os investidores procuram é reunir informações. Foi feito um levantamento aero-geofísico de todo o país,incluindo da Região Sul de Angola, onde foram revistas todas as evidências de rochas ornamentais”, disse. Sublinhou que o cenário político apresenta um ambiente de negócios favorável ao investimento, porque o executivo assegura por meio de lei e acções concretas apoios ao empresariado nacional e estrangeiro interessados em investir. Disse que cabe agora aos operadores do sector fazer a sua parte de produção, manuseamento e venda deste material. O secretário de Estado entende que a atracçãode mais investimentos vai impulsionar a abertura de novas minas e a revitalização do sector da indústria como fábricas de transformação de rochas, comercialização e a incrementar as exortações. “Há também uma conjugação de esforço que passa pela cooperação entre vários actores como é o caso da energia e águas, transportes e indústria para que possamos ter condições para que os minérios sejam produzidos e transformados no país e comercializado e exportado”, referiu. Em termos gerais, considerou a Huíla uma província muito importante para o sector dos recursos minerais, embora o maior complexo de gabro anortosítico do mundo está na província do Cunene, onde decorrem também estudos para a confirmação de outros minérios como platina,ferro e titânio. “Há na Huíla uma imensidão de recursos. Começamos a incentivar a indústria a nível local e isso vai se reflectir depois para empregar mais pessoas. No fundo o que pretendemos é o bem-estar da população”,disse.