O parque industrial da Huíla registou, nos últimos sete anos, um crescimento considerável nos domínios das infra-estruturas, pessoal qualificado e produção diversificada de bens, face aos investimentos importantes levados a cabo pela classe empresarial local.

O progresso evidente da indústria agro-alimentar, de bebidas, de materiais de construção civil, extração de mineiros, entre outros, propicia um movimento imparável de homens de negócio nacionais e várias partes do mundo, contribuindo acentuadamente para o desenvolvimento da província da Huíla.

Este desenvolvimento, fez com que a indústria de hotelaria e turismo não ficasse a margem. Mais de dez hotéis modernos e hospedarias foram construídos e remodelados, proporcionando mais de dois mil quartos. O hotel Chick Chick é o mais recente de cinco estrelas inaugurado no Lubango. Estão em construção cinco hotéis de 4 a 6 andares.

As transacções comerciais e contactos diversos conferiram maior visibilidade a sede da província, Lubango, tornando-a numa cidade cosmopolita um frenesim incomensurável. Os investidores nacionais continuam a enaltecer a materialização das políticas macroeconómicas do Executivo, por favorecerem as parcerias público-privadas, intervenção dos bancos com créditos negociais e nalguns casos bonificados.

O presidente da Associação Agro-pecuária Comercial e Industrial da Huíla, António de Lemos disse a imprensa local que o resultado do árduo trabalho dos empresários repercute-se na expansão do Parque Industrial da Huíla. Antes, as indústrias do parque confinavam-se na zona industrial do Lubango.

A realização de vários investimentos, disse, pressionou as autoridades da província a expandirem a zona industrial para a zona Mukanka, Arimba e, neste momento, várias unidades produtoras estão implantadas nalguns municípios. “Nos sentimos regozijados com o facto de serem os técnicos nacionais a assegurarem o funcionamento das indústrias”.

Afirmou que o crescimento do Parque Industrial local ocupa um lugar de relevo na criação de empregos directos e indirectos, absorção dos produtos do campo, redução da importação de materiais para cobrir sobretudo as necessidades da construção civil, ramo alimentar, refrigerantes, água mineral, bebidas alcoólicas, entre outros.

Dar ração adequada aos bovinos, caprinos e suínos influencia na qualidade da espécie e cria condições para que o rendimento do animal seja satisfatório e melhorar a riqueza familiar. A criação de espécies implica alguma atenção na alimentação e sanidade.

O rebanho da província da Huíla está a evoluir fruto dos vários investimentos feitos pelos empresários agro-pecuários na criação de fazendas, aquisição de animais, equipamentos e contração de especialistas para velar pelos bovinos, caprinos, suínos, cavalos, aves e outros.

Ração para animais

A Huílavent é uma jovem indústria criada para cobrir parte das necessidades do sector Agro-pecuário. Produz rações de vários tipos e com os padrões de qualidade exigidas no mercado animal. O sócio-gerente Álvaro Sampaio afirmou que motivou a criação da fábrica a actual evolução e diversificação de gado na região.

A unidade orçada em 400 milhões de kwanzas, produz rações capaz de enriquecer a dieta dos animais. O socio-gerente afirmou que a há muita procura, por isso, primam pela qualidade e praticam preços acessíveis para inverter a compra no mercado exterior.

A fábrica está projectada para produzir uma tonelada de ração hora. Uma indústria portuguesa presta assessoria técnica. A fábrica de ração possui dez trabalhadores e quando há necessidade são contratos mais pessoas. O empreendimento está implantado numa área de 600 metros quadrados, num espaço que possui 50 hectares vedados.