O Produto Interno Bruto (PIB) de Angola poderá registar, em 2020, um crescimento estimado de 2,0 por cento, segundo a Fitch. A informação consta do relatório sobre o “Panorama macroeconómico” do III trimestre publicado, há dois dias, pela área de estudos e pesquisas de mercado do Banco Millennium Atlântico. Conforme a publicação, o crescimento real de 2019 é de 0,4%, uma recuperação de 2,1p.p. A agência de rating perspectiva que se registe uma maior dinamização do sector não petrolífero em consequência do incremento da eficiência na alocação de moeda estrangeira, tal como, da política cambial direccionada à descentralização do acesso às divisas. Sobre a estimativa de crescimento para os anos seguintes, a Fitch fixou-os em 2,0% para 2020 e 2,8% para 2021, no entanto, apresenta como riscos, a baixa implementação de reformas de suporte ao sector não petrolífero e a limitação no acesso ao financiamento externo. Já o FMI perspectiva recessão de 0,3% no ano corrente, pressionada pelo declínio na produção petrolífera, mas apresenta projecções de recuperação do desempenho da economia em 2020, ao fixar-se em 1,2%, após quatro anos consecutivos de recessão. Por sua vez, a The Economist Intelligence Unit (EIU) estima uma recessão económica de 3,6% em 2019. Para a institução, o desempenho económico estimado para 2019 representa um intensificar da recessão em 1,5 pontos percentuais, comparativamente ao ano anterior, pressionado por restrições na oferta de crude. Ainda assim, estima uma recuperação do crescimento económico a partir de 2021, ao fixar-se em 2,4%, devido ao impacto das reformas no sector petrolífero sobre a atracção de investimento no sector e pela perspectiva de incremento da cotação internacional do crude, com impactos sobre as receitas governamentais e o investimento no sector não petrolífero. Para a “The Economist Intelligence Unit”, o desempenho do PIB no III trimestre representa uma ligeira recuperação de 0,2 p.p., em comparação ao trimestre anterior, sendo que, a análise referente ao II trimestre dos anos anteriores revela que o registo de 2019, representa o melhor desempenho do PIB desde 2015, quando variou 3,4%. O valor nominal situou-se em 23.802,5 milhões USD e a variação trimestral fixou-se em -3,2%, uma inversão face ao crescimento de 5,9% apurado no I trimestre.