As mais de cinco mil pessoas que visitaram este ano a Feira Internacional de Luanda (FILDA/2019), que decorreu na Zona Económica Especial (ZEE-Luanda Bengo), deu para medir a dinâmica das empresas num cenário de fortes incertezas económicas.
O número de visitantes foi avançado na altura pelo director nacional para a Economia, Competitividade e Inovação do Ministério da Economia e Planeamento, Marcelino Pinto, na qualidade de porta-voz da 35ª edição da Filda que decorreu este ano sob o lema “Dinamizar o sector privado e promover o crescimento económico”, aberta pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior.
O certame contou com a participação de 21 países, nomeadamente, Portugal, Alemanha, Indonésia, Turquia, França, Índia, China, Reino Unido, Noruega, Suécia, Suíça, Israel, Brasil, Japão, Bielorrússia, Uruguai, Macau (Região administrativa Especial da China), Itália, África do Sul, Holanda e Estados Unidos de América.
Produtos e serviços ligados à banca, telecomunicações e tecnologias de informação, petróleos, transportes e logística, indústria e turismo, construção civil, intermediação imobiliária, agricultura, entre outros, estiveram patentes durante a exposição.
Em paralelo às exposições, foirealizada uma conferência sobre financiamento e desenvolvimento económico, que, além da teoria, associou-se à prática com a realização de negócios.