O Conselho de Administração da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola - (Sonangol E.P) deu início ao processo de venda de dois edifícios localizados na Avenida da República 5 a 7, e do imóvel do antigo Convento de Brancanes, os dois primeiros em Lisboa e Setúbal, em Portugal.
De acordo com uma nota da empresa, chegada à Angop ontem, quinta-feira, o referido processo está a ser conduzido pela Puaça-Administração e Gestão, sociedade portuguesa na qual a Sonangol detém a totalidade do seu capital social e que é a entidade responsável pela gestão dos referidos imóveis.
A acção que culminou com a decisão de venda destes imóveis teve início há mais de um ano, estando enquadrada no processo de alienação dos activos não nucleares da empresa.
A mesma levou em consideração, entre outros aspectos, o momento favorável do mercado imobiliário português, na expectativa de recepção de propostas bastante competitivas.
A Sonangol adianta ainda que, no ano passado, concluiu a venda de um outro imóvel, o “Convento das Mónicas”, e neste momento tem em conclusão o processo de venda da Quinta do Lazareto do Porto Brandão, em Almada.
Dados avançados pela edição on line do jornal Mercado, fixam em cerca de 40 milhões de euros os imóveis postos à venda.
Sobre o Convento de Brancanes as indicações avançam que foi fundado em 1682 por Frei António das Chagas, para nele se formarem missionários na sequência do prestígio apostólico dos frades franciscanos conhecidos pelos ‘missionários do Varatojo’.