Mais de três mil empresas chinesas estabeleceram 82 zonas de cooperação económica e comercial com o exterior, tendo investido usd 28,9 mil milhões.
Em contrapartida, contribuíram em impostos e taxas com um valor de usd 2,01 mil milhões para os países anfitriões, criando 244 mil empregos para os locais. Em 2018, o volume total de importação e exportação da China para os países “Faixa e Rota” alcançou usd 1,3 biliões, um aumento anual de 16,3 por cento, 3,7 pontos percentuais acima do volume total de importação e exportação da China no mesmo período, representando 27,4 por cento do volume total de importação e exportação da China.
As exportações para os países “Faixa e Rota” somaram usd 704,73 mil milhões, com um aumento de 10,9 por cento em relação ao ano anterior, e as importações dos países do acordo “Faixa e Rota” atingiram usd 563,07 mil milhões, um aumento de 23,9 por cento.

Intensidade

A China investiu igualmente usd 15,64 bilhões em países relacionados com a “Faixa e Rota”, aumentado 8,9 por cento em comparação com o ano passado, representando por 13 do investimento total nos estrangeiros da China durante o mesmo período.
No seminário de cooperação em comunicação de Angola 2019, realizado de 23 de Julho a 5 de Agosto, em Pequim, capital da China, apurou-se que um grande número de empresas ligadas ao comércio electrónico estabeleceu intercâmbios que ajudaram no fortalecimento das relações de negócios, no âmbito da Iniciativa “Faixa e Rota”, que já se tornou popular.
Até Junho de 2018, a China estabeleceu acordos de compensação em sete países relacionados com a “Faixa e Rota”. Actualmente, 11 bancos chineses apoiam 71 instituições de primeiro nível em 27 países relacionados.
Dissertando sobre a “Iniciativa Faixa e Rota Comunidade de Destino para toda a Humanidade”, Gang Cheng An, ex -secretário Geral Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, enfatizou a promoção e a construção da Faixa e Rota, afirmando que a criação da zona, não é apenas a necessidade da China para expandir e aprofundar a sua abertura,  mas pela necessidade de reforçar a cooperação com vantagens recíprocas com os países da Ásia, Europa e África.

Cooperação

A ideia é dedicar-se a interconexão com o resto do mundo,  estabelecendo e fortalecendo as parcerias entre os países, a fim de realizar o desenvolvimento diversificado, autónomo, equilibrado e sustentável.
“Nos últimos cinco anos, a comunicação política continuou a aprofundar-se, as instalações foram continuamente fortalecidas, o comércio foi continuamente aperfeiçoado, o financiamento continuamente expandido e o coração das pessoas foi continuamente aproximado”, afirmou.
O Banco de Desenvolvimento da China estabeleceu um empréstimo especial de infra-estrutura “Faixa e Rota” usd de 14,2 mil milhões (100 biliões de yuans), um empréstimo especial de cooperação industrial de 100 bilhões de yuans e de cooperação financeira de usd 7,1 bilhões (50 bilhões yuans).

Reforço

O Banco de Exportação e Importação da China criou um empréstimo especial para o “Faixa e Rota” (equivalente a 100 biliões de yuans) e um empréstimo especial para a infra-estrutura acima de usd 4 mil milhões (equivalente a 30 bilhões de yuans).
Estabeleceu-se também um “think- tanks” e intercâmbio com organizações diversas, uma das quais a Associação Não Governamental da China para a Promoção de Organizações Internacionais, e mais de 150 organizações chinesas e estrangeiras criaram conjuntamente uma “rede cooperativa de organizações populares Rota da Seda”. A aliança de cooperação entre “think-tanks” Faixa e Rota lançou o “Projecto de Cooperação de think tanks”.
A construção do “Faixa e Rota” estabeleceu acordos com a Ásia, Europa, África e América para assegurar a cooperação internacional.


O Que Significa o Sonho Chinês


O Sonho Chinês refere-se à revitalização da Nação Chinesa. As metas estão relacionadas aos dois centenários..

1 - 2021:
Quando o Partido Comunista da China celebrar o centésimo aniversário, espera-se construir plenamente uma sociedade de vida ligeiramente confortável em todo o país.

2 - 2049:
Quando a República Popular festejar cem anos, espera-se que a China se torne um país desenvolvido.


Iniciativa de Xi Jinping

O presidente Xi Jinping lançava a Iniciativa Faixa e Rota durante as suas visitas aos países da Ásia Central, Turcomenistão, Cazaquistão, Uzbequistão e Quirguistão e do Sudeste Asiático, Indonésia, Malásia em Setembro e Outubro de 2013.
Em Março de 2015, apresentou-se o “Documento de Visão e Acção para Promover a Construção Conjunta da Faixa e Rota” pela Comissão para o Desenvolvimento e Reforma, e pelos Ministérios dos Negócios Estrangeiros e Ministério do Comércio.
A Iniciativa Faixa e Rota deve ser conectada com a União Económica Euro-asiática iniciada pela Rússia, Plano Geral de Interconexão pela Associação das Nações do Sudeste Asiático, Caminho Brilhante pelo Cazaquistão, grande corredor Intermediário pela Turquia, Caminho para o Desenvolvimento pela Mongólia, dois grandes corredores económicos e um Círculo Económico pelo Vietname, Centro Económico do Norte da Inglaterra pelo Reino Unido e Caminho de Âmbar pela Polónia, entre outros. De 14 a 15 de Maio de 2017, a China  organizou o primeiro Fórum de Cúpula da Cooperação Internacional de Iniciativa “Faixa e Rota” em Beijing.
O II Fórum de Cúpula da Cooperação Internacional de Iniciativa “Faixa e Rota” foi realizado em Beijing de 25 a 27 de Abril de 2019.
Construir uma “Faixa e Rota” para criar um futuro melhor foi o tema do encontro o presidente por Xi Jinping.