Os viadutos do Zango e do Kilamba, em Luanda, estão desde segunda-feira abertos à circulação rodoviária. Construída à base de betão, para um tempo útil de 20 anos, o viaduto do Zango possui uma extensão de 3,725 quilómetros, uma altura de cerca de 90 metros, 20 de largura e conta com duas faixas de rodagem em cada sentido.
Já o viaduto do Kilamba, também construído à base de betão, para um período útil de 20 anos, possui uma extensão de 6,75 quilómetros, 99 de altura, 30 de largura, também com duas faixas de rodagem em cada sentido. Cada um dos dois viadutos vai permitir a circulação de cerca de 12 mil viaturas por hora.
Para o ministro da Construção, Artur Fortunato, as duas obras vão garantir a circulação rodoviária mais fluída e evitar a retenção de viaturas na via por motivo de congestionamento. “Até aos próximos 10 anos não haverá congestionamento nestas vias, que foram construídas para melhorar os acessos ao novo aeroporto internacional de Luanda”, disse.
O ministro das Finanças, Archer Mangueira, realçou a importância das obras, tendo afirmado que, apesar da situação de crise económica e financeira, o Executivo tem feito esforços para garantir o financiamento destas obras. Entretanto, para o governador de Luanda, Higino Carneiro, a construção dos viadutos não constitui a solução de todos os problemas dos cidadãos.