O sistema bancário angolano conta, actualmente, com 30 instituições financeiras bancárias autorizadas das quais 29 em actividade.
De acordo com o governador do BNA, Valter Filipe, a taxa de bancarização, em Dezembro de 2016, situava-se nos 52,92 por cento, o sistema bancário conta com um total de 6.719.407 clientes.
Ainda naquele período, o sistema bancário apresentava um volume de negócios (activos) de 10,1 triliões de kwanzas, sendo que o crédito total à economia correspondia a 3,6 triliões ao passo que o crédito vencido sobre o crédito total correspondia a 639 mil milhões, representando cerca de 17,66 por cento.
Em termos de adequação de capital, o sistema financeiro apresentava um rácio de solvabilidade regulamentar em cerca de 19,74 por cento.
De acordo com o governador do banco central, nos últimos anos, registaram-se transformações significativas na economia angolana, em particular no sector bancário. Neste particular, diz ser necessário considerar que após uma avaliação sobre o real estado do sistema financeiro angolano, o BNA tomou iniciativas como a conformação do quadro legal e regulamentar em sede de políticas contra o branqueamento de capitais e financiamento de terrorismo, adequação de capital, governação corporativa e sistema de controlo interno. Estes planos decorreram dentro do Programa de Avaliação do Sector Financeiro (FSAP), efectuado em 2010.
“Um dos objectivos principais do BNA, enquanto autoridade de supervisão, é o de garantir a estabilidade de preços e a confiança do sistema financeiro e bancário. E, visando adequar o sistema bancário às normas prudenciais e boas práticas internacionais, foram aprovados e publicados em 2016, 48 normativos”, disse. RH