Entre as 189 propostas de investimentos privados registadas até ao momento na Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações de Angola (AIPEX)são do sector do Comércio, das quais 16 estão implementados num montante avaliado em 61 milhões de dólares. A AIPEX prevê que se crie 1.800 empregos dos 1.333 que já estão criados. Segundo a administradora executiva da AIPEX, Sandra Dias dos Santos, que falava à margem da primeira edição do fórum empresarial dos municípios de Luanda, as empresas nacionais são as que mais investem no mercado local, seguido de países como Portugal com 19 propostas que rondam os sete milhões de dólares, a China com projectos avaliados em 176 milhões de dólares e a Eritréia com cinco projectos na ordem dos 11 milhões de dólares. A certificação dos produtos, atraso nas licenças e o escoamento são os principais constrangimentos que dificultam o processo de exportação. Os desafios dos operadores económicos com capacidade de exportação passa igualmente no aumento dos níveis de produção. “Temos uma lista de produtos que já são exportados como o sal, mel, café, pescado, frutas tropicais e madeira”, disse.