A postura ética do contabilista é fundamental e facilita a tomada de decisão dos gestores, segundo revelou o vice-governador da Huíla, Sérgio da Cunha Velho.
“Ao se tomar como exemplo a administração pública, tem-se de forma contundente a importância aguda da postura ética daqueles que produzem e dos que utilizam as informações contábeis, para a tomada de decisões, bem como para a prestação de contas das suas administrações”, disse.
De acordo com o governante, dada a importância dos números produzidos pela contabilidade para a gestão pública, existe uma legislação extremamente rígida e severa que pune aqueles que adoptam comportamentos não éticos e que não atendem aos parâmetros contábeis definidos em lei, referiu.
“Vivemos no país, um momento impar, de mudança de paradigma no que tange os comportamentos fiscais dos agentes económicos assim como a responsabilidade dos gestores públicos sobre a utilização dos recursos financeiros disponibilizados pelo Estado angolano”, enfatiza.
Acrescentou que, em função de uma alteração profunda na estrutura económica, que deixa de depender, essencialmente, da exploração dos recursos fósseis e passa a incorporar outras fontes de receitas para financiar a actividade do aparelho do Estado. Nesta senda, a acção dos contabilistas e peritos contabilistas torna-se crucial para a implementação rigorosa dos princípios constantes na nova legislação fiscal.