A Administração Geral Tributária (AGT) prevê arrecadar em 2017, 33 mil milhões de kwanzas em Imposto Predial Urbano, contra os 31 mil milhões encaixados em 2016. Esta informação foi avançada pelo seu administrador, Hermenegildo Gaspar, durante um seminário com as empresas imobiliárias, responsáveis de repartições fiscais e administrações municipais e distritais sobre a importância do pagamento do IPU.
De acordo com o administrador, os imóveis com valor até cinco milhões de kwanzas estão isentos do pagamento do IPU, enquanto aos que se encontram acima deste valor será aplicada uma taxa de 0,5 por cento.
Os prédios urbanos - casas, apartamentos, terrenos e industrias, devem pagar imposto desde que não estejam afectos a agricultura, sivicultura e agropecuária.
A técnica do departamento dos serviços fiscais da AGT, Carla de Almeida, disse que a instituição prevê um crescimento da base de contribuintes, por via das acções de sensibilização em curso, com as quais se pretende incentivar a inscrição voluntária, numa altura em que o déficite de registo de prédios na matriz predial das repartições está na ordem dos 98 por cento.
Segundo a técnica, o município de Belas é o que tem registados mais imóveis, por comportar grande número de projectos imobiliários. A seguir estão Cacuaco e Viana. O município de Luanda é o que mais cumpre com a liquidação do IPU. Além das províncias de Benguela e Huambo.