O mercado de seguros é um dos que tem tido melhor desempenho nos últimos anos, alimentando as expectativas de crescimento. Actualmente, conta com 27 empresas e sociedades gestoras de fundo de pensões, de acordo com dados da Arseg.
Numa entrevista recente, o presidente da Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (ARSEG), Aguinaldo Jaime, falou da importância de manter o sector segurador estável para dar respostas aos desafios de natureza económica, social, tecnológica, global, regional ou local.
“A visão do mercado continua optimista. Isso implica que os reguladores e supervisores do sector têm de continuar a refinar os instrumentos de regulação e aperfeiçoar os mecanismos de concertação com os outros reguladores do sistema financeiro, de forma a prevenir ocorrências de riscos sistémicos”, disse.
Segundo o presidente da Arseg, o mercado de seguros só desenvolve em ambiente macroeconómico estável e previsível, em resultado de finanças públicas equilibradas, com défices sustentáveis e moedas estáveis.
Ligada ao banco Sol, a “Sol Seguros” é a mais recente seguradora que foi apresentada ao mercado nacional, e que segundo o presidente da Comissão Executiva da instituição, Coutinho Nobre Miguel, esta ramificação é um contributo a necessidade de impulsionar este sector, para contribuir para a diversificação da economia e garantir a estabilidade e inclusão financeira.
Coutinho Nobre Miguel disse ainda que a iniciativa deste investimento também foi movida pelos resultados positivos dos activos do banco em 2016, que se posicionam acima da média exigida pelos normativos e directivas do  Banco Nacional de Angola. “E esta realidade demonstra que a instituição tem liquidez e a  entrada do banco no mercado de seguros, resseguros e dos fundos de pensões é um investimento promissor “ garantiu
O mercado de seguros é um dos que tem tido melhor desempenho nos últimos anos, alimentando as expectativas de crescimento. Actualmente, conta com 27 empresas e sociedades gestoras de fundo de pensões, de acordo com dados da Arseg.
Numa entrevista recente, o presidente da Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (ARSEG), Aguinaldo Jaime, falou da importância de manter o sector segurador estável para dar respostas aos desafios de natureza económica, social, tecnológica, global, regional ou local.
“A visão do mercado continua optimista. Isso implica que os reguladores e supervisores do sector têm de continuar a refinar os instrumentos de regulação e aperfeiçoar os mecanismos de concertação com os outros reguladores do sistema financeiro, de forma a prevenir ocorrências de riscos sistémicos”, disse.
Segundo o presidente da Arseg, o mercado de seguros só desenvolve em ambiente macroeconómico estável e previsível, em resultado de finanças públicas equilibradas, com défices sustentáveis e moedas estáveis.
Ligada ao banco Sol, a “Sol Seguros” é a mais recente seguradora que foi apresentada ao mercado nacional, e que segundo o presidente da Comissão Executiva da instituição, Coutinho Nobre Miguel, esta ramificação é um contributo a necessidade de impulsionar este sector, para contribuir para a diversificação da economia e garantir a estabilidade e inclusão financeira.
Coutinho Nobre Miguel disse ainda que a iniciativa deste investimento também foi movida pelos resultados positivos dos activos do banco em 2016, que se posicionam acima da média exigida pelos normativos e directivas do  Banco Nacional de Angola. “E esta realidade demonstra que a instituição tem liquidez e a  entrada do banco no mercado de seguros, resseguros e dos fundos de pensões é um investimento promissor “ garantiu.  VI