O Banco Nacional de Angola (BNA) diz ter concluído, em Agosto, a primeira fase do Programa de Reestruturação Orgânica e Funcional (PROF-BNA), com um registo de implementação bastante positivo.
Ao que apurou o JE, conforme nota publicada pelo banco central na sua página de internet, a eixo primário da Reestruturação Orgânica e Funcional abrange a revisão e adequação da estrutura interna, do modelo de governação e do modelo de gestão orientado à resultados, insere-se o objectivo estratégico: “Implementar a reestruturação orgânica e funcional do BNA, para fortalecer a governação corporativa e o sistema de controlo interno”, que se desdobra no seguinte conjunto de Linhas de Orientação Estratégica (LOE):
Adequação da estrutura e processos organizacionais à missão do BNA, visando a melhoria da sua eficácia e eficiência; Consolidação e aprofundamento da cultura de gestão do risco e fortalecimento do sistema de controlo interno; Adequação de soluções tecnológicas às necessidades do BNA.
Melhoria da qualidade dos estudos e das estatísticas, visando a consolidação das boas práticas neste domínio; Desenvolvimento de programas e modelos de racionalização de custos e optimização de serviços, em linha com as medidas de contenção.
O Banco Central lembra que tais mudanças fizeram com que ocorresse uma concentração no mesmo pelouro das funções de suporte de natureza operacionais.
Assim, houve a concentração no mesmo pelouro das unidades que asseguram os processos de gestão do capital humano; fusão de algumas unidades de estrutura; centralização e uniformização dos procedimentos associados às funções e processos de averiguação e acções sancionatórias; assim como a centralização e uniformização dos processos de segurança corporativa. A institucionalização do processo de “procurement”, visando assegurar a cadeia de aquisição de bens e serviços, e a extensão da implantação territorial do BNA, com a criação de direcções provinciais e agências foram outras das medidas implementadas nesta primeira fase.
De acordo com o documento, a implementação do PROF-BNA visa conferir maior responsabilização, promover a gestão por equipas com foco nos resultados, redução da burocracia, celeridade nos processos de tomada de decisão, aumento da eficiência e eficácia operacional, com o propósito de conferir rigor e transparência aos actos do conselho de Administração.
Por essa razão, lembra que o conselho de administração do Banco Nacional de Angola (BNA) é o órgão responsável para execução das funções do Banco Central, de regulador e de autoridade monetária e cambial, com a missão de assegurar. A ele cabe também preservar o valor da moeda nacional e velar pela estabilidade do Sistema Financeiro Nacional.
Foi nesta base que realizou, em Abril de 2016, um diagnóstico situacional com o objectivo de reforçar o papel do Banco Central, enquanto autoridade monetária, cambial de regulação e supervisão, com credibilidade e reputação, no país e a nível internacional.