O Banco Nacional de Angola (BNA), com quem a AIA tem vindo a trabalhar, está a procurar corrigir a anomalia do acesso às divisas, sobretudo daqueles clientes que possuem cambiais depositadas nas suas contas particulares.
De Acordo com José Severino, ainda, recentemente, o BNA vendeu cambiais para tal e tem outras medidas que começam a acalmar alguns “irritantes” em épocas de vacas magras!
Entende que o sentimento dos clientes de encerrarem as suas contas em divisas e reaverem os valores são legítimas, mas diz que o problema é que os bancos se subordinam a taxa flutuante e o mercado informal paga muito melhor. Talvez que isto reduza a pressão sobre a procura no informal e aí uma eventual contenção das sua taxas.
“Nota-se mais confiança até pelo diálogo também entre o BNA e a ABANC”, disse.