A inclusão financeira vai continuar a ser uma das principais tendências do Banco Postar para os próximos anos, pois existem muitos ganhos com o aumento do universo demográfico bancário em Angola e a mitigação da exclusão social é um dos ganhos.
Para o banco, a inclusão financeira não é apenas um acto de responsabilidade social, é muito mais do que isso. É a missão estratégica.
Segundo uma nota de imprensa do Banco Postal, emitido em ocasião do seu primeiro aniversário, a bancarização vai continuar a ser um dos principais eixos estratégicos das instituições a operarem em Angola. A expansão geográfica dos canais físicos e digitais, aspecto que reflecte na capilaridade da rede bancária, é um forte indicador deste processo. A nota acrescenta que a outra com certeza que vai ser a crescente utilização das novas formas de pagamento com suporte às tecnologias mobile.
“O BP foi constituído por escritura pública num dia como hoje, em 2016, tendo arrancado as suas operações com um capital social inicial que rondava no valor de 2,5 mil milhões kwanzas. Actualmente, cumprindo os pressupostos do BNA, elevou o seu capital social em pouco mais de 10,5 mil milhões de kwanzas”, lê-se no documento.
Os 2 anos que marcaram o arranque das operações do banco segundo a nota, foram inscritos na sua história por desafios titânicos e expectativas concretizadas. Por isso, o banco entra para o mercado financeiro com um modelo de negócio multissegmento, congrega 3 unidades de negócios, até então inexistente neste sector onde impera em massa o conceito de banca universal. Actualmente, o banco já oferece instrumentos e ferramentas que têm permitido que os angolanos sejam dotados de personalidade financeira como um direito fundamental. O Xikila Money, a primeira unidade de negócio do BP a que foi lançada, é a materialização efectiva da missão acima referida.
É um dos mais inovadores paradigmas de serviços bancários em Angola. Pois, diferentemente de outros, o Xikila Money congrega o que há de melhor em dois mundos: Operações bancárias através de tecnologias móveis e os tradicionais canais físicos da banca, onde no BP estão estruturados em agências, quiosques, agentes externos e a rede paga aqui.
Os mais 250 mil angolanos que abriram uma conta no Xikila Money, em menos de dezoito meses, confirmam assim a aposta do banco num serviço de proximidade e inovador, como mostram os números, é claramente valorizado pelos seus clientes. A unidade de negócio comércio e empre é um complemento do Xikila Money.