O Banco Sol  e a  cooperativa “O Nosso Zimbo”, que congrega funcionários do Ministério das Finanças e empresas públicas adstritas ao referido ministério, assinaram, recentemente, em Luanda, um protocolo de cooperação mediante o qual serão viabilizados vários projectos de construção de residências.

Segundo o presidente do Concelho de Administração do Banco Sol, Coutinho Nobre, a direcção do banco que gere predispôs-se através do protocolo a conceder um montante avaliado em 25 milhões de dólares (2,4 mil milhões de kwanzas) para fazer cobertura aos pedidos de crédito habitação.

“Este é um passo que visa também responder e contribuir para a concretização do programa de construção de um milhão de casas levado a cabo pelo Executivo angolano”, afirmou.

Segundo Coutinho Nobre, os pedidos dos membros da cooperativa serão atendidos sem necessidade de apresentação de outras garantias reais normalmente solicitados pelos bancos comerciais. Além do protocolo, o banco dispõe de um fundo de garantia que cobre 15 por cento dos riscos, sendo que a própria residência a adquirir constituirá uma garantia patrimonial do banco.

Por sua vez, Emanuel Maravilhoso Buchartts, presidente de direcção da cooperativa “O Nosso Zimbo”, agradeceu o apoio do Banco Sol e garantiu que a iniciativa vai beneficiar os três mil associados da cooperativa e outros funcionários das Finanças que vierem a aderir ao projecto.

“O projecto habitacional é de âmbito nacional e será executado de forma faseada. Nesse momento, vamos arrancar com as obras nas províncias de Malanje, Huíla, Namibe, Benguela e Huambo”, disse.

Questionado sobre as formas de acesso ao projecto, Emanuel Maravilhoso Buchartts afirmou que os principais beneficiários serão os associados interessados no produto. Os outros trabalhadores do ministério e órgãos afins poderão também beneficiar do projecto mediante adesão à cooperativa e apresentação da sua candidatura ao crédito habitação junto do banco, que oferecerá procedimentos especiais ao abrigo do protocolo assinado.