Os bancos comerciais que actuam na praça financeira angolana estão, desde o ano passado, a emitir novos cheques. Para tal, o apelo que fazem aos clientes é de que estes renovem as respectivas cadernetas para que possam ter garantia de continuidade das operações de débito à conta por via de terceiros.

Conforme apurou um levantamento do JE, nesta senda estão os bancos de Fomento Angola (BFA), Comércio e Indústria (BCI), Internacional de Crédito (BIC), Negócios Internacionais (BNI), Angolano de Investimentos (BAI) e o Caixa geral Totta de Angola (BCGTA).

Segundo apurou a reportagem, o preocesso deve abranger aos demais operadores, tratando-se de procedimentos que têm em linha de conta a segurança destes documentos bancários, face aos anos de emissão e a sua permanência em circulação no mercado financeiro nacional.

O gestor de um dos balcões do Banco de Comércio e Indústria (BCI) avança mesmo que os clientes estão a ser comunicados através de anúncios no Jornal de Angola, pois é esta uma obrigação imposta pela Lei.

O responsável assegura, por outro lado, não tratar-se de uma simples operação de troca de cheques, mas sim de uma preocupação permanente e que as instituições têm de observar no que diz respeito à segurança das transacções bancárias.

“A emissão de novos cheques implica custo sim ao cliente. As antigas séries deixam de ser aceites dentro do tempo estabelecido pelo banco, que no nosso caso já foi vencido”, argumenta.