Os bancos comerciais que operam no país foram aconselhados, na província do Huambo, a criarem pacotes especiais para financiamento do sector agro-industrial.
O conselho é da consultora de projectos agrícolas Imaculada Henrique Matias, reagindo, em declarações à imprensa, o interesse do Banco Africano de Investimento (BAI), em financiar os empresários locais do sector agro-industrial.
“Sendo um sector de risco, aliado ao tipo de empresariado que temos e a conjuntura económica em si, os bancos devem criar pacotes especiais e, sobretudo, atractivos”, recomendou.
Admitiu que a província, tal como no passado, tem condições para relançar a agro-indústria, desde que se façam grandes investimentos, com ajuda da banca.
A especialista lamentou a falta, no passado, de uma associação de empresários agrícolas que lutasse pelos interesses da agro-indústria na província do Huambo, mesmo sendo um sector muito importante para a economia.
Fruto disto, explicou, vários empresários locais receberam financiamentos, mas o seu impacto é quase nulo, já que a província do Huambo não se mostra com o potencial que tem.
“Pela tradição que a província tem, há mais pequenos agricultores ao invés de grandes empresários agrícolas. Esta é a dificuldade, pois para se fazer um grande rendimento é preciso um bom investimento e tempo elevado”, reconheceu.
A consultora em projectos agrícolas afirmou, também, ser indispensável agregar valor acrescentado de partida às condições climáticas desta região para desenvolver a agro-indústria.