Os bancos comerciais, com representações em Cabinda, como o BFA, BAI, BCI, BIC, Standard Bank, Millennium Atlântico e BNI, que aderiram, este ano, ao projecto de apoio ao credito, PAC, já dispõem no seu todo de kz 141 mil milhões para garantirem o financiamento dos projectos inseridos no PRODESI.

O PRODESI é um programa do Executivo central, sob a tutela do Ministério da Economia e Planeamento, aprovado pelo Decreto presidencial nº 23/19, de 14 de Janeiro, que visa diversificar a economia, o aumento da capacidade da produção, o fomento da diversificação das exportações e da substituição das importações.
Constam do PRODESI 54 produtos de origem nacional, como a avicultura, bovinocultura, caprinicultura, suinicultura, milho, feijão, as culturas de cana-de-açúcar, mandioca, arroz, soja, leite, produção de óleo alimentar, sabão azul, sal comum, captura e aquacultura de pescado.
O projecto de apoio ao crédito, PAC, que tem a missão de facilitar o financiamento de todos os produtos que constam no pacote dos 54 produtos de bens essenciais da cesta básica, conta com a participação do fundo de garantia de crédito, FGC e do Banco de Desenvolvimento Africano, BDA, com a taxa de juros de 7,5 por cento ao ano.
A concretização plena do PAC vai permitir que os empresários da província de Cabinda consigam concretizar os seus projectos de investimento ligados ao PRODESI com vista a contribuírem no aumento da produção local e na diversificação da economia da região para o bem-estar social das populações.
A província de Cabinda, rica em petróleo e madeira, possui vários recursos minerais, e terras aráveis que possam contribuir para o desenvolvimento económico e social da região, em particular, e do país, em geral. Com quatro municípios, nomeadamente Belize, Buco-Zau, Cabinda e Cacongo, a província mais ao Norte de Angola, possui uma população que se dedica maioritariamente à agricultura, pesca e à caça.