Do total de 30 bancos que operam em Angola, quatro (4) deles aparecem na recente lista dos bancos com melhor desempenho em África e no mundo, divulgada pela prestigiada revista Global Finance.
Trata-se dos bancos Angolano de Investimentos (BAI), que aparece na classificação como o mais seguro de Angola; de Fomento Angola (BFA), eleito o melhor banco em Angola de 2018, assim como o Standard Bank e o Standard Chatered, por via dos seus principais braços da África do Sul.

BAI
Conforme a GF, o BAI foi o banco angolano que mais seguiu à risca as regras de governance da banca. A distinção avaliou também a estabilidade dos bancos para os investidores, bem como as alterações legislativas que poderão aumentar a demanda por serviços bancários com altos padrões de estabilidade e solvência. Outros factores de avaliação foram, igualmente, a saúde dos depósitos a longo prazo em moeda estrangeira, o tamanho dos activos e como a sua evolução ao longo do tempo se correlaciona a factores de estabilidade.

Standard bank
O Standard Bank como nosso vencedor regional na África com base em seu forte desempenho financeiro em meio a condições desafiadoras e suas impressionantes capacidades internacionais. O Standard Bank, com sede na África do Sul, é o maior emprestador de activos do continente, mantendo presença em 20 países. Ela levantou mais de 7 biliões de dólares em dívidas para clientes africanos, incluindo corporações, dos mercados globais em 2017. Os mercados fora da África do Sul aumentaram sua contribuição para os lucros do grupo de 26 para 28%. Os ganhos do banco aumentaram 14% em 2017.
“Os fortes resultados do grupo foram alcançados com a execução de nossa estratégia estabelecida de maneira disciplinada, com boa gestão de custos e de crédito em um ambiente operacional barulhento”, afirma Sim Tshabalala, CEO do grupo Standard Bank. “O grupo também continuou a se beneficiar do nosso diversificado portfólio de negócios na África”.

Chartered Bank
O Standard Chartered Bank, que cobre uma extensa rede de mercados emergentes na Ásia, África e Oriente Médio, desfrutou de rápido crescimento de activos sob custódia. É um dos principais participantes do Bond Connect da China, que dá aos investidores estrangeiros acesso ao mercado de títulos interbancários da China. Na Índia, onde o Standard Chartered é o único custodiante do maior fundo público de segurança social, os activos sob custódia cresceram 47% no ano passado.
“Estamos agora no segundo ano da nossa jornada de cinco anos de ‘SS2.0’, e os resultados foram fantásticos”, diz Margaret Harwood-Jones, chefe global de serviços de títulos do Standard Chartered. “Estamos no caminho certo para dobrar o tamanho de nossos negócios até o final de 2021. Esse é um reflexo da crença de nossos clientes em nossa estratégia e no roteiro de desenvolvimento que a apoia.”
Os bancos foram seleccionados por meio de uma avaliação de ratings de longo prazo em moeda estrangeira - da Moody’s, Standard & Poors e Fitch - e do total de activos dos 1000 maiores bancos do mundo.