No âmbito do programa de desenvolvimento económico e social do Governo, o Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) já financiou projectos agrícolas avaliados em 25,5 mil milhões de kwanzas, equivalentes a 266 milhões de dólares, em diferentes províncias do país.

O montante foi aplicado no apoio a projectos meramente agrícolas no valor de 21,2 mil milhões de kwanzas e em projectos agro-industriais nas províncias do Kwanza-Sul, no valor de 1,9 mil  milhões de kwanzas, Huíla (1,3 mil milhões de kwanzas), Malanje (876,4 mil milhões kwanzas) e Benguela (  89,2 milhões de kwanzas).

Segundo João Cunha, director de políticas e programas de financiamentos do BDA, em relação ao sector da agricultura, até ao momento, o BDA financiou um total de 275 projectos em 15 províncias do país.

Acrescentou que na província do Kwanza-Sul, por exemplo, o banco financiou 91 projectos agrícolas avaliados em 9,2 mil milhões de kwanzas, enquanto em Malanje financiou 12 no valor de 1,6 mil milhões de kwanzas.

João da Cunha realçou ainda que nas províncias da Huíla e Lunda-Sul, o banco financiou 35 projectos, orçados em 2,2 e 1,6 mil milhões de kwanzas, respectivamente. Nas províncias da Lunda-Norte e do Bengo, o banco financiou 36 e 26 projectos, orçados em 1,7 e 1,6 mil milhões de kwanzas, respectivamente.

De acordo com o responsável, as províncias do Huambo com 10 projectos e o Kwanza-Norte com nove desembolsaram aos cofres do Estado cerca de 1,1 e 420,4 milhões de kwanzas cada.

“As províncias do Uíje, Moxico, Bié, Cabinda, Cunene e Luanda também beneficiaram de financiamentos do banco. No entanto, em Luanda, foram financiados seis projectos orçados em 577,7 mil milhões de kwanzas”, disse.

Segundo João Cunha, o programa contemplou igualmente a província do Uíje com 114,6 milhões de kwanzas para financiamento de três projectos a nível da agricultura, assim como na província do Bié, cujos projectos (três) orçaram em 95,5 milhões de kwanzas.
A província do Moxico recebeu o financiamento de 61,1 milhões de kwanzas para dois projectos agrícolas. A província de Cabinda beneficiou de 114,6 mil milhões de kwanzas para apenas um projecto um projecto.

Criação de cadeias produtivas
O programa faz parte da estratégia de intervenção do BDA em relação à criação de cadeias produtivas no país, que compreende um conjunto de elos que integram o complexo produtivo de um determinado bem ou serviço, desde actividades de pesquisa, produção, transformação ao consumo final.

Para o efeito, João Cunha notou que o BDA leva a cabo um programa de financiamento para a produção em grande escala de sementes, cereais e leguminosas.

O programa prevê ainda o financiamento para a produção de algodão, indústria de descaroçamento e prensagem de algodão e financiamento para o fornecimento de insumos agrícolas, para a mecanização agrícola e para a produção de mandioca.

O responsável pelas políticas e programas de financiamentos do BDA revelou que o programa visa atender empresários ou produtores de qualquer dimensão, com capacidade organizacional, técnica e de gestão comprovada que necessitem essencialmente de apoio financeiro para desenvolver actividades produtivas.

“Pensamos que todos os empresários com alguma capacidade e “know-how” no sector são passivos de serem financiados. A agricultura é uma actividade que requer conhecimento e precisa de pessoas que queiram entregar-se efectivamente no sector”, salientou frisando que a actividade não deve ser feita por curiosos.