O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) aprovou e financiou 13 projectos diversos nos sectores da agricultura e indústria transformadora da província de Benguela, estimados em 32 milhões de dólares. A informação foi dada pelo director da Central de Risco e Administração de Crédito do BDA, José Igor de Oliveira, a margem da Feira Internacional de Benguela que ocorreu, na semana passada, no Estádio Nacional da Ombaka, sito na referida cidade.

De acordo com o gestor, o BDA está ainda a analisar 39 projectos de investimento e continua de portas abertas para financiar outros projectos da província de Benguela, sobretudo aqueles relacionados a agricultura, agro-indústria, pecuária e a indústria transformadora.
“A província tem um grande potencial agrícola.

Por isso, pode beneficiar dos produtos do BDA com facilidade” referiu José de Oliveira, antes de acrescentar que “atendendo que o BDA é o banco ideal e com as melhores condições de financiamento para apoiar projectos de grandes dimensões nos sectores agro-industriais com prazos de reembolso dilatados, baixa taxa de juro e período de carência prolongado”.
Além dos sectores considerados prioritários, que acima mencionamos, o BDA aprova também projectos na área do comércio de in sumos, fertilizantes, comércio rural, promoção agrícola e apoia as actividades de pequenos e médios agricultores.

Constrangimentos

Questionado sobre a qualidade documental dos projectos, o gestor sublinhou que o empresariado local demonstra alguma dificuldade na elaboração dos projectos, sobretudo na qualidade do estudo de viabilidade económica. Facto que pode contribuir negativamente para o insucesso de alguns projectos.

“Esses constrangimentos são reais e vão desde a capacidade empresarial do próprio investidor, que tem algumas debilidade na execução do estudo de viabilidade do projecto, na estruturação e acompanhamento técnico que ele precisa principalmente na fase de implementação” disse.
Mais adiante sublinhou, no entanto, que o sector agrícola recebe um tratamento especial do BDA por estar sujeito a muitas barreiras como a estiagem que tem estado a impedir o avanço de alguns projectos. “Estamos sensíveis a esse tipo de constrangimento. Por isso é que as condições de financiamento para este sector são mais flexíveis e possuem prazos de carência até três anos e de amortização até oito anos. Esses períodos podem ser prolongados dependendo da dimensão e natureza do projecto” sublinhou.

Produção de álcool

Segundo José de Oliveira, o maior projecto que o BDA financiou para a província de Benguela vai se dedicar a produção de álcool. Trata-se de um projecto de grande dimensão, orçado em 12 milhões de dólares, que visa a produção de álcool industrial e hospitalar a partir da cana-de-açúcar no município de Caimbambo, localizado a 116 quilómetros da cidade de Benguela. A iniciativa do projecto é da empresa Alves & irmãos.
Estima-se que actualmente o país gasta mais de 100 milhões de dólares com a importação deste álcool. Razão pela qual, a implementação deste projecto é um passo que pretende paulatinamente substituir a importação deste produto pela produção nacional.

O gestor afirmou ainda que estão a ser analisados projectos de produção de eléctrodos, e outros de produção de pavimentos, lancis, produção de cereais em grande escala, frutícolas, leguminosas, indústria transformadora e exploração florestal.