Dois milhões de dólares norte-americanos é o valor disponibilizado pelo Banco de Fomento Angola (BFA), para financiamento do projecto de combate à seca no município de Ombadja, província do Cunene, no quadro do seu programa social, denominado “Portos Seguros.” O projecto é um acordo de cooperação entre o Governo Provincial do Cunene, BFA e UNICEF, e tem como objectivo promover infra-estruturas sociais de base para o fortalecimento dos serviços essenciais para sobrevivência, desenvolvimento e protecção das crianças, com enfoque ao acesso à água, saneamento, saúde, nutrição e educação. O presidente do Conselho Executivo do BFA, Jorge Ferreira disse no acto do acordo de parceria que as acções têm como foco principal as crianças e jovens até 18 anos, e incidem nas vertentes da educação, saúde e inclusão social e financeira. De acordo com Jorge Ferreira, o BFA no quadro da sua responsabilidade social, decidiu que 50 por cento do seu orçamento deste ano, recai para o desenvolvimento das acções das famílias afectadas pela seca na província do Cunene. Jorge Ferreira disse que o projecto surge no âmbito do apelo lançado pelo Executivo angolano para dar resposta ao programa de emergência às vítimas da seca no Sul do país. Acrescentou que o BFA vai contribuir para o acesso à água potável em 15 escolas da comunidade do município de Ombadja, assegurar o rendimento na melhoria das suas condições de vida e das suas famílias. “O projecto prevê, igualmente, a reabilitação de pontos de água e tanques subterrâneos, aproveitamento de água das chuvas, promoção da gestão sustentável e higiene na comunidade” assegurou o responsável do BFA.

Apoio da UNICEF
O representante da UNICEF em Angola, Abubacar Sultan, disse que a assinatura do acordo de cooperação vai contribuir para a redução do sofrimento das populações mais afectadas pela seca no município de Ombadja, em particular as mulheres e crianças. Referiu que a UNICEF e o governo do Cunene adaptaram um plano de trabalho conjunto para responder ao impacto de emergências entre o humanitário e o desenvolvimento. Abubacar Sultan disse que, a iniciativa do BFA constitui a mais-valia na implementação dos esforços do Governo e seus parceiros no combate aos fenómenos naturais, contribuindo para melhor adaptação às mudanças climáticas cujos efeitos são hoje, uma realidade na província do Cunene. Abubacar Sultan disse também que a contribuição do BFA é integrada nos projectos que a UNICEF e o governo do Cunene estão a desenvolver para dar resposta à seca , promovendo o acesso a serviços centrados na criança. A vice-governadora do Cunene, Suraya de Jesus Kalongela, disse que, o fenómeno da seca na província do Cunene, além de atingir as pessoas e o gado, também condiciona o processo de ensino e aprendizagem. Conforme afirmou, centenas de crianças, com realce para os do meio rural, foram obrigadas a abandonar as escolas para ajudar os pais na condução do gado.