O fortalecimento dos micro, pequenos e médios negócios, criando novas oportunidades de emprego e reduzir a pobreza alinham nos principais objectivos do Projecto de Apoio ao Crédito (PAC).

Esta semana, no Cuando Cubango, Governo e empresários abordaram o referido programa com o qual visam também diminuir os níveis de informalidade da economia, permitindo o processo de integração das sociedades comerciais nas fileiras produtivas, aumentar a produtividade e a competitividade das empresas nacionais.
Abigail Teixeira disse que o Executivo angolano, liderado pelo Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, quer apoiar e aumentar a produção nacional, através do Projecto de Apoio ao Crédito (PAC), aos empresários nacionais do sector privado, para que o país possa produzir cada vez mais e importar menos.
“Em matéria de encargos financeiros, o aviso número 4/19, de 3 de Abril, do Banco Nacional de Angola (BNA), aprovou termos e condições para a concessão de crédito ao sector real da economia, no âmbito do PAC e que define encargos financeiros totais, incluindo a taxa de juros e as comissões de até 7,5 por cento por ano para 13 fileiras produtivas”, informou.
Para a vice-governadora para o sector político, económico e social do Cuando Cubango, Sara Luísa Mateus, a implementação do Projecto de Apoio ao Crédito (PAC) a nível da província, vai permitir acelerar o desenvolvimento socioeconómico da região, visto que tem um impacto significativo no sector empresarial privado.
A governante realçou que o referido projecto tem um impacto positivo no sector privado, visto que concede financiamento aos empresários nacionais, para desenvolverem cada vez mais os seus negócios. Bem como, contribuir para a redução da taxa de desemprego no país, dando oportunidade de trabalho aos jovens, que de acordo com o último censo realizado no país, em 2014, representa a maior franja da sociedade.
“O sector bancário, dentro das suas políticas e pacotes comerciais, tem que se tornar no maior credor da economia nacional, para que os homens de negócios possam desenvolver-se cada vez mais, para a resolução dos problemas sociais das populações”, disse.
O Banco de Fomento de Angola (BFA) apresentou, esta semana, na cidade de Menongue, província do Cuando Cubango, o Projecto de Apoio ao Crédito (PAC) que tem disponível 30 milhões de dólares para financiar os empresários a nível do país, no sentido de dinamizarem e aumentarem a produção nacional, através dos sectores agro-pecuário, pesca, indústria extractiva e transformadora.
A representante da região Sul de Angola do BFA, Abigail Teixeira, edisse que o Projecto de Apoio ao Crédito (PAC), foi criado pelo Executivo angolano para facilitar o financiamento de projectos de investimentos, enquadrados nas fileiras produtivas definidas nos sectores acima referenciados, com vista a contribuir para o alargamento dos bens e serviços para a substituição de importações e diversificação das exportações.