Os clientes no Banco de Fomento Angola (BFA) crescem de ano em ano. Em 2016, a carteira do banco chegou aos 1.571.107 (um milhão, quinhentos e setenta e um mil cento e sete kwanzas), mais oito por cento em relação a 2015 (1.445.419).
O relatório e contas referente ao exercício económico de 2016 confirma ainda que o activo do banco está posicionado nos 1,3 mil milhões de kwanzas.
O lucro líquido do banco foi superior a 24 mil milhões de kwanzas, numa subida de 6,8 por cento. Já o quadro de trabalhadores aumentou de2.610 (em 2015) para 2.632 (2016), numa subida de 0,8 por cento.
Estes números que posicionam o banco na liderança dos “players” privados são ainda reforçados com o recente estudo sobre satisfação do cliente nacional, que dá conta que 60 por cento dos clientes bancários aprovam os serviços prestados pelo operador, que agora é detido na totalidade por investidores angolanos.
No que respeita às operações nos mercados secundários, o BFA surge com uma aplicação de 108 mil milhões de kwanzas em Títulos e Obrigações do Tesouro. Nesse segmento, o banco já reserva para si 39 por cento da quota. O seu registo é de 1.365 transacções junto da Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA).
Os dados publicados, em Agosto, no relatório e contas avançam também que, em 2016, o BFA foi distinguido como o banco mais inovador pela prestigiada revista EMEA Finance.