Os cartões de crédito “Mwangolé” e os pré-pago “Kandandu” do Banco de Fomento Angola (BFA) têm, a partir de 26 deste mês, uma nova tabela de comissões e despesas.
De acordo com o banco, na sua página de internet, os utilizadores de cartões de crédito “Classic” e “Gold” em caso de atraso no pagamento (cartão de crédito), contra os actuais 4.500 kwanzas passam a pagar 9.000 (+100%).
Já a emissão do cartão Kandandu Visa deixa de custar 2.700 e passa a 4.000 kwanzas (+48%). Os levantamento a débito no estrangeiro nos ATMs com o cartão Kandandu deixam de pagar a comissão de 300 kwanzas e sobe para 600 (+100%).
Caso o cliente queira substituir o cartão “Classic” já não paga 7.000, mas sim 11.000 kwanzas (+57%). Para a substituição do cartão Gold é ainda mais cara a nova comissão de despesa, pois passa dos anteriores 7.000 para 16.500 kwanzas. A subida aqui é de mais de 135 por cento.
Em caso de excesso de limite de utilização do cartão de crédito a comissão sai de 3.500 para os 9.000 kwanzas (+157%). Os levantamentos em ATM no estrangeiro, para os cartões de Crédito deixam de pagar 700 kwanzas e sobem mais 100 por cento, para 1.400 kwanzas.
A comunicaçãodo BFA avança que o carregamento do cartão Kandandu, na opção pré-pago, passa de 2,5 para os 3,0%.

Melhor banco
Na sua mais recente edição, a revista Global Finance elegeu o BFA como o melhor banco de Angola em 2018. A par do operador angolano, na lista de bancos africanos, e com realce para a região Austral, surge ainda a distinção aos bancos Rawbank, da República Democrática do Congo, o First National Bank, da Namíbia e o Barclays Bank, da Zâmbia. Há ainda a realçar os gigantes africanos África do Sul e Nigéria, onde foram distinguidos como os melhores bancos do ano 2018 o Standard Bank e o First Bank, respectivamente. IL