O presidente do Conselho de Administração, Fernando Teles, disse que o homónimo em Portugal serve de facto de um excelente canal para que clientes com perfil de idoneidade reconhecido sejam, nas suas deslocações ao exterior, recomendados para que consigam por esse canal aceder a certas quantias e verem solucionados os problemas com as divisas. O bancário falava à imprensa, recentemente, a respeito das operações financeiras da instituição em 2016.
Fernando Teles disse, igualmente, que o facto de a instituição em Portugal estar bastante consolidada, com uma rede de agências até ligeiramente superior a da que possui em Angola, faz com que os clientes sejam melhor servidos.
Contudo, advoga que deve haver racionalização no recurso às divisas, lembrando, por outro lado, que a utilização de cartões Visa tem sido outra das alternativas para facilitação do processo de cedências de cambiais. Este processo que, para ele, ao nível do BNA deve continuar a ser afinado para melhor atender as necessidades dos bancos e da sua carteira de clientes.
Para já, Fernando Teles assegura que o BIC atende solicitações de divisas ainda que com restrições. IL