O representante para Angola e Moçambique junto do grupo Standard Bank Africa, Fáusio Mussá, disse ontem, em Luanda, que o Banco Nacional de Angola (BNA) antecipou-se às previsões quanto a implementação da taxa de juros e das medidas de gestão do mercado cambial.

Para ele, o facto do banco central possuir mais informações sobre a evolução da inflação justifica a posição do BNA, mas está alinhada com o que era encarado como os principais desafios para os referidos segmentos.
Fáusio Mussá falou ontem à imprensa durante um encontro realizado, em Luanda, pela instituição bancária.
“Há um conjunto de planos que foram desenhados pelo Executivo e que a partir do inicio deste ano o governo passou à contar com o apoio do Fundo Monetário Internacional (FMI), do Banco Mundial e de outras instituições que estão à dar apoio às reformas que o governo tem estado a fazer”, afirmou.
Recentemente, o FMI publicou a sua primeira avaliação do programa de financiamento de 3.700 milhões que tem para Angola e aprovou um desembolso como reconhecimento desse desempenho de 248 milhões de dólares o que eleva para 1.240 milhões de dólares a quantia já entregue ao país.
Portanto, quando olhamos para estas informações ficamos positivamente emocionados, porque as politicas e medidas que estão a ser implementadas estão a produzir resultados, obviamente que o StandardBank mantém a expectativa de que este ano a economia ainda terá um desfecho negativo de 0.7, mais a nossa acusação para o próximo ano que publicamos em Maio, este documento apresenta uma expectativa de 1.5 para 2020.
Segundo ele, também pôde perceber, junto dos clientes do grupo e investidores, que já há alguns projectos de investimento em curso de investimento no sector do petróleo.
“Defendemos sempre que não é possível diversificar a economia angolana sem fortalecer o sector do petróleo, que é aquele que gera maior parte dos requisitos para o resto da economia a funcionar”, conclui.