O Banco Nacional de Angola encerrou, recentemente, em Luanda, mais um ciclo formativo dirigido aos quadros da instituição e organismos parceiros.
Lançado o desafio de ajustamentos da banca angolana às normas internacionais, o banco central aposta na qualificação dos técnicos bancários, a fim destes responderem satisfatoriamente aos desafios que se impõem ao sistema financeiro e a banca em particular.
Na formação decorrida no Museu da Moeda, foram discutidos temas como “O papel da auditoria interna dos bancos”, “O branqueamento de capitais”, “A estrutura regulatória dos acordos de Basileia II e III”, “A gestão de risco”, bem como “As normas internacionais de contabilidade”.
O curso foi ministrado pelo director do Instituto de Finanças de Nova Iorque, Anton Theunissen, entre os dias 10 e 14.
Conforme o comunicado do banco central na sua página de internet, a nível dos “Instrumentos Financeiros” (IFRS9) e modelagem de risco, com maior acuidade, os trabalhadores das áreas de supervisão e regulação, puderam aprofundar os conhecimentos sobre activos e passivos financeiros, características dos fluxos de caixa, distribuição de perda, com exercícios práticos e estudo de casos verificados nas instituições financeiras e bancárias mais reputadas do mundo.
A referida acção formativa, organizada pela Academia do BNA, enquadra-se na estratégia do Conselho de Administração, cujo desígnio é reforçar as competências e abordagens técnicas dos profissionais do banco central, no quadro da demanda de responsabilidades aos gestores séniores das instituições.